quinta-feira, 29 de setembro de 2016

Quem És Tu, Demônio?


Unearthly Beauty Illuxicon - Jim Pavelec



Quem És Tu,
Demônio,
Que ancoras sobre
A minha alma
Como navio
Inafundável?


Quem És Tu,
Demônio,
Que assiste todas
As minhas quedas
Do alto de um
Precipício?


Quem És Tu,
Demônio,
Que aborda meus
Tenebrosos sonhos
E adoráveis
Pesadelos?


Quem És Tu,
Demônio,
Que habita comigo
Nesta Cova
Onde enterro
Meus ossos?


Quem És Tu,
Demônio,
Me oferecendo
O Véu De Sísifo
E A Espada
De Democrátes?


Quem És Tu,
Demônio,
Me dando como
Amante
A Medusa
Errante?


Quem És Tu,
Demônio,
Me arrastando para
Tit Aisoun
E Ozmoloch
E Azarath?


Quem És Tu,
Demônio,
Me trazendo
Lúcifer,
Lilith
E Priapo?


Quem És Tu,
Demônio,
Pendurado em meu
Pescoço
E habitando
A minha mente?


Quem És Tu,
Demônio,
Dançando comigo
Nas madrugadas
Mais doentes
E abissais?


Quem És Tu,
Demônio,
Meditando comigo
Sobre a Ruína
De toda esta
Desgraçada Humanidade?


Quem És Tu,
Demônio,
Presente
Em meu café
Da manhã
E almoço?


Quem És Tu,
Demônio,
Me alimentando
No lanche da
Tarde
E no jantar?


Quem És Tu,
Demônio,
Me vestindo
De trapos,
De ouro
E me deixando nu?


Quem És Tu,
Demônio,
Nunca sorrindo
Ao relampejar
Dos meus sacrifícios
Carnais?


Quem És Tu,
Demônio,
Nunca falando
Comigo
Diante do Obscuro
Altar?


Quem És Tu,
Demônio,
Sempre se escondendo
De mim
E narrando estes
Versos Demoníacos?


Quem És Tu,
Demônio,
Me agitando
Na febre da escrita
Em direção
Ao Abismo?


Quem És Tu,
Demônio,
Me agigantando
Nas horas
Infelizes
Do meu existir?


Quem És Tu,
Demônio,
Me infinitizando
No movimento
Máximo
Do meu porvir?


Quem És Tu,
Demônio,
Que quando chamo
Se esconde
Entre a poeira
Do meu caixão?


Quem És Tu,
Demônio,
A Sombra,
O Jogo,
A Arma
Ou A Razão?


Quem És Tu,
Demônio,
Me determinando
Como O Filho
Das Trevas
Que eu sou?


Quem És Tu,
Demônio,
Me afirmando
Como Médium
Dos Infernos
Que Eu Sou?


Quem És Tu,
Demônio,
Me confirmando
Como Mago Negro
Do Abismo
Interior?


Quem És Tu,
Demônio,
Pois Quero Ser
Como Tu És
No Alvorecer
E No Esplendor?


Inominável Ser
INDAGADOR
DE UM
AMIGO
INTERIOR





quarta-feira, 28 de setembro de 2016

O Amor Das Quatro Senhoras De Sangue


Love at the First Bite - Italia Ruotolo


Quero agora falar
De um Imortal Amor
A atravessar todo
O Tempo,
A rasgar todo
Efêmero Momento,
A ser um
Sangrento Amor
Poderoso entre
Os Imortais
Predadores
De todas as
Esferas.

A Senhora
De Ossos,
A Senhora
De Trevas
E
A Senhora
De Êxtases
Carregam
Tal Amor.

Os Aniquilados
Dançam sobre
Ossos derretidos
No calor de vulcões,
Enquanto
Os Tenebrosos
Compartilham dos
Restos mortais
De nativos de muitos
Planetas que hoje
Nem existem
Mais.

A Senhora
De Ossos,
A Senhora
De Trevas
E
A Senhora
De Êxtases
Preservam
Tal Amor.

O Sangue Universal
Escorre entre os
Serpentinos Covis
Daqueles que correm
Pelas Noturnas
Estradas,
Os Campeões
Da Luta Eterna
Contra A Luz
Se reúnem oferecendo
Supremos Sacrifícios
Aos Reis Da
Escuridão
Eterna.

A Senhora
De Ossos,
A Senhora
De Trevas
E
A Senhora
De Êxtases
Expandem
Tal Amor.

É gélido por onde
Caminham todos
Os Imortais,
É O Frio
Trazendo Sabedoria
Para alguns,
Selvageria
Para muitos
E a
Eterna Solidão
Para todos.

A Senhora
De Ossos,
A Senhora
De Trevas
E
A Senhora
De Êxtases
Alimentam
Tal Amor.

O Sangue
Nunca é parado,
A Caça
É Eterna,
Os vícios
São eternos,
Jamais haverá
Entre os
Imortais
A tediosa marcha
Da decomposição
De tudo
Que acomete
Aos mortais.

A Senhora
De Ossos
Cuida de todos
Com Amor.

A Senhora
De Trevas
Beija a todos
Com Amor.

A Senhora
De Êxtases
Abençoa a todos
Com Amor.

E do
Grande Cálice
Purificador,
É depurado
Todo o Ódio
De Lilith
Pela Criação
Em um Amor
Que vocês,
Tolos pobres
Errôneos
Mortais
Fadados ao prazer
Do pó,
Jamais poderão
Compreender
Ou sentir
Em si.

É O Amor
Que Move
Os Vampiros
Para Cima
De Todos
Vocês!

É O Amor
Que Molda
Cada Predador
Que No
Noturno Curso
Terrestre
Se Alimenta
De Todos
Vocês!

É O Amor,
Desgraçados
Mortais,
Miseráveis
Mortais,
Malditos
Mortais,
Que Nos Coloca
Acima De Todos
Vocês!

Onisciente,
Onipotente
E Onipotente
Amor
Do Outro Lado
A Nos Mover
Contra Todos
Vocês!

Inominável Ser
UM MORTAL
SEM
AMOR
PELA
HUMANIDADE