terça-feira, 17 de outubro de 2017

Por Apenas Uma Manhã Contigo


Darken - Mahafsoun


Longe das névoas perturbadoras,
Próximo às nuvens acalentadoras,
Um passo para uma manhã adoradora,
Um sinal de alguma manhã protetora.

Folheando livros inteiros de dores,
Pintando paredes inteiras de cores,
Pareço um buscador de odores
Que me livrem dos rancores.

Teu perfume é o doce soberano,
O odor supremo acima dos anos,
Ancestral força sem enganos,
Eterno Poder fugindo dos danos.

Eu o sinto agora pulsando,
Eu o sinto sempre me acelerando,
Eu o senti chorando,
Eu o sentirei caminhando.

Só há tempo agora,
Inominável Sacerdotisa
Das Noturnas Auroras,
Para sentir o teu perfume.

Um perfume que me liberta,
Um perfume que me libera,
Um perfume que me abraça,
Um perfume que não me abandona.

Um perfume,
Inominável Mestra
Das Noturnas Manhãs,
Que ainda me faz sorrir.

Um sorriso puro,
Um sorriso triste,
Um sorriso melancólico,
Apenas um sorriso.

Sorriso abrindo as portas
De uma manhã contigo,
Inominável Deusa
Das Noturnas Luzes.

Passe apenas uma manhã
Verdadeiramente comigo,
Uma manhã
Verdadeiramente única.

E me ilumine com
A Verdadeira Manhã Vossa,
Amada Noturna Inominável
Verdadeiramente Luminosa.

Inominável Ser
DESEJANDO
APENAS
UMA MANHÃ
COM UMA
NOTURNA
ILUMINADA




A Um Livro - Florbela Espanca


Nina Fae Giliath


No silêncio de cinzas do meu Ser
Agita-se uma sombra de cipreste,
Sombra roubada ao livro que ando a ler,
A esse livro de mágoas que me deste.

Estranho livro aquele que escreveste,
Artista da saudade e do sofrer!
Estranho livro aquele em que puseste
Tudo o que eu sinto, sem poder dizer!

Leio-o e folheio, assim, toda a minh'alma!
O livro que me deste é meu e salma
As orações que choro e rio e canto!...

Poeta igual a mim, ai quem me dera
Dizer o que tu dizes!... Quem soubera
Velar a minha Dor desse teu manto!...




Portishead - Roads


Composição: Adrian Utley / Beth Gibbons / Geoff Barrow


Ohh, can't anybody see
We've got a war to fight?
Never found our way?
Regardless of what they say

How can it feel, this wrong?
From this moment
How can it feel, this wrong?

Storm... In the morning light
I feel
No more can I say
Frozen to myself

I got nobody on my side
And surely that ain't right
And surely that ain't right

Ohh, can't anybody see
We've got a war to fight?
Never found our way?
Regardless of what they say

How can it feel, this wrong?
From this moment
How can it feel, this wrong?

How can it feel, this wrong?
From this moment
How can it feel, this wrong?

Ohh, can't anybody see
We've got a war to fight?
Never found our way?
Regardless of what they say

How can it feel, this wrong?
From this moment
How can it feel, this wrong?






domingo, 15 de outubro de 2017

Oração A Exu Caveira


Exu Caveira - Monroe Rodriguez Singh


Exu Caveira,
Senhor Cujos Ossos
Portam Os Mistérios
Daqueles Que Conhecem
As Chagas Do Grande
Pai Omulu,
Que Os Ossos Dos 
Meus Inimigos
Eu Possa Quebrar,
Que As Muralhas
À Minha Frente
Eu Possa Enterrar,
Que O Grande Osso
Que Me Impede De Seguir
Para A Frente
Eu Possa Pulveizar.
Nas Manhãs,
Sacudas Vossos Ossos
Para Cada Kiumba
Em Minha Estrada,
Cada Osso
Para Eles
Espantar.
Nos Meios-Dias,
Sacudas Vossos Ossos
Para Cada Mandinga
Posta Diante
De Cada Um
Dos Meus Passos,
Cada Osso
Para Elas
Destroçar.
Nas Tardes,
Sacudas Vossos Ossos
Para Cada Vício
Que Possa Tentar
Em Mim Crescer,
Cada Osso
Para Eles
Esmagar.
Nas Noites,
Sacudas Vossos Ossos
Para Cada Calamidade
Que Tente
À Minha Morada
Montar Guarda,
Cada Osso
Para Elas
Destruir.
Nas Meias-Noites,
Sacudas Vossos Ossos
Para Cada Tocaia
Que Meus Inimigos
Tentem Praticar,
Cada Osso
Para Elas
Apagar.
Nas Madrugadas,
Sacudas Vossos Ossos
Para Cada Armadilha
Que Os Humanos
Caminhos Carnais
Possam Me Guiar,
Cada Osso
Para Elas
Encobrir.
E Na Minha Cova,
Sacudaa Vossos Ossos
Para Cada Um
Dos Meus Ossos
Sempre Serem
Tão Firmes Quanto
Os De Todos Que,
Como Vós,
Seguem A Eterna
Dança Sagrada
Do Pai Omulu
No Grande Cemitério
Onde Ele Sempre
Há De Reinar.

LAROYÊ ESÙ!!!!

LAROYÊ ESÙ!!!

LAROYÊ ESÙ!!!

Inominável Ser
EM ORAÇÃO
A EXU CAVEIRA
GRANDE SERVO
DE OMULU




sábado, 14 de outubro de 2017

Pecadores - Exu Caveira



Seu Exu Caveira no limbo vagava
Ajudando aquele que desencarnava

Todo ser vivo um dia irá falecer
Então seu Exu Caveira irá conhecer

De preto e vermelho ele vai e vem
Vive no mundo dos homens e no além

Salve Seu Exu Caveira!
Ele ceifará sua vida, de qualquer maneira!

Se você quiser lhe agradar
Ele vai sempre lhe respeitar

Cachaça e charuto: é o que ele quer,
Na encruzilhada que você estiver

Agora se dele você zombar
Irá se arrepender quando a morte chegar

Salve Seu Exu Caveira!
Ele ceifará sua vida, de qualquer maneira!

Acenda uma vela preta e fique por perto
Peça que ele destrua o seu desafeto

Seu Exu é juiz e vai poder julgar
Caso você tentou lhe enganar

Salve Seu Exu Caveira!
Ele ceifará sua vida, de toda maneira!






quinta-feira, 12 de outubro de 2017

Obscuros Amantes Abraçados Pelas Sublimes Trevas


Dark Love - Jen Sullenger


Me abrace nestas Trevas
que nos encobrem,
me abrace nestas Trevas
que nos amam,
me abrace nestas Trevas
que nos invocam,
me abrace nestas Trevas
que nos evocam,
acalente cada treva de minha
obscura alma angustiada,
espante cada Demônio
rangendo os dentes
em meu redor,
abrace,
abrace forte,
abre,
amor que encontro
entre os poucos belos
poços de esperança
em mim…

Trevas hão de sempre
nos cercar…

Trevas hão de sempre
nos abrigar…

Trevas hão de sempre
nos chamar…

Trevas hão de sempre
nos carregar…

Trevas hão de sempre
nos abraçar...

Pois,
é aflita a Escuridão
que envolve cada um
dos tantos campos
do meu coração…

Pois,
é denso o Caos
que se aglomera entre
a brisa feroz
que se ergue
em minha estrada…

Pois,
é horrível o Limbo
onde fico gritando
e pedindo a ajuda
do Anjo Do Abismo
e do Anjo Do Portão
Divino…

Pois,
é destrutivo o Labirinto
onde estou perdido,
um ninho de pássaros
que engolem meus instintos,
meus sonhos,
meus caminhos…

Me abrace com força,
me abrace com muita força,
eu preciso do teu valor,
eu preciso do teu calor,
seja você quem for,
seja você alguém
que também precise
de um grande abraço
acalentador…

As Trevas
Devoram!

As Trevas
Ferem!

As Trevas
Prendem!

As Trevas
Matam!

As Trevas
São Nosso
Mundo!

As Trevas
São Nossas
Deusas Únicas!

As Trevas
São Nossos
Universos!

As Trevas
São Nossas
Criações!

As Trevas
São Nossas
Eternas Canções!

As Trevas
São Nossas
Eternas Danças!

E são o nosso
Verdadeiro Lar,
amor,
nunca conhecemos
outro,
jamais conheceremos
outro,
eu conheço apenas
este,
você conhece apenas
este…

Então,
me abrace eternamente
entre os Seres
e Deuses Das Trevas,
me abrace,
me abrace úmida,
me abrace ardente,
me abrace única,
distante dos mornos,
distante dos frios,
distante dos mortais,
distante dos olhos
daqueles que não sabem
o que é nas Trevas
o Verdadeiro Amar…

E nos casemos
abraçados
à Árvore Da Morte…

Inominável Ser
ABRAÇADO
A ESTE ROMANCE
DAS TREVAS




Ne Obliviscaris - Intra Venus



Ghosts of porcelain waste
The innocence in faith
Through translucent eyes
In shifting shades of pale upon pale
Writhing across the neverwhere

Haunting reflections of the mirrored void
Is this the end of everything we love?
The wounds of life weaving the loom
Dwellers in the deep... worlds entombed

Of all the fragile, their desolate veins
Ravenous hearts, euphoric suffering
Poison of the well, where the black tongues sing
Intra Venus quickens
A curse of life
Bequeathed, gorging sanguine like cancer
They prey for blood, wretched are the gods
For the stillborn suns of never
They are the severed
The lifeline to end forever

Lanced, earthen flesh of enslavement...intravenous
Descending liquid shadows, all entwining
Their distant sights weaving the loom
Dwellers in the deep... drift below

To the ferryman's drains
Seek a cure for the pain

The end of all we love and lust
In tainted flesh of doubt and corruption
Is it too late? Will death be my lover?
Will death be my lover?
And into ribs... crib, cradled, caressed
A moment between black talons, blessed
Consciousness, a breath... regret
Clarity come forth, is there salvation?

Haunting reflections of the mirrored void
Is this the end of everything we love?
Wounds of life wield the strength to rise
Dwellers in the deep, dream of hope, only hope

The end of everything we love
The end of everything we love