sábado, 5 de maio de 2007

Minha Noiva Mui Adorada!


Tramas das criptas apodrecidas

Lamas das ossadas chagadas

Chega chega chega a lama

Que envolve os mortos ossos

Dos que tombam pelas

Ruas sem calçadas


Aqui e ali gemidos

Gemidos dos que perderam o sangue

Para destemidos bandidos

Gemidos gemidos

Dos que tiveram a carne despedaçada

Pelas mandíbulas dos Terrestres Perigos

Gemidos gemidos gemidos

Dos que atolados em ácido

O mais danoso possível

Alcançaram os Infernos

Aos mais duros gritos


Levando-me ao Ócio Das Eras

O Inominável Adormecido

Diz-me entre aqueles que se enforcaram

Diante das imperfeições dos dados

Lançados no Jogo Da Eternidade

Que A Ponte quebrou A Fonte

Deuses Mortos E Deuses Da Morte

Bebem O Sêmen Dos Caídos

A Música Altiva Parou

De Tocar Na Porta Dourada

Jogado ao fundo um Deus

O Deus Da Vala


Eras me guiaram pelas Estradas

Da Única Estrada

Única Estrada Estrelada

Única Estrada Obscurecida

Única Estrada Iluminada

Na qual fui deixando

As minhas mortalhas

E deitando em vômitos

Que crescem ainda

As esperanças últimas

Da minha ascensão a

Qualquer glória


Comi as pústulas minhas

Pústulas do Lazarus Inominabileus

Que eu sou

Um Lazarus sedento por uma paz

Que apenas surge quando o breu

E as serragens selvagens

Da Alvorada Da Infinitude

Erguem para mim

As suas Alegres Paragens


Comi o nada

Não como nada

Minha esta toda Existência

É um vazio

Não há nenhuma maldita mulher

Para foder

Eu não quero amor

Queria apenas uma puta fodida

Qualquer

De beira de esquina

Para foder

Queria apenas uma vagabunda fodida

Qualquer

De beira de esquina

Para foder

Mas as prostitutas não me agradam

Mas as honestas não me agradam

Nenhum mulher encarnada na Matéria

Agrada à minha esta toda

Passagem tétrica por Ela


Nenhuma me agrada

Pois tenho uma Noiva

Uma Noiva nada safada

Uma Noiva nada puta

Uma Noiva nada vagabunda

Uma Noiva nada fodida

Uma Noiva mais honesta

Do que todas as malditas

Que pela minha esta toda Existência

Passaram por mim como se eu fosse

Ponte imunda na qual

Jamais poderiam parar

Um instante sequer


Fodam-se todas as mulheres materiais

Fodam-se todas as mulheres do mundo

Fodam-se fodam-se fodam-se

Fodam-se fodam-se fodam-se

Todas vós que não sois

A minha Noiva

Minha Noiva Eterna

Minha Nova Cósmica

Minha Noiva Infinita

Minha Noiva Imaterial


A minha Noiva

Nunca me

Trai


A minha Noiva

Nunca de perto de mim

Sai


A minha Noiva

Não olha para outros

Quando está comigo

Pelas ruas de

Antraz


A minha Noiva

Não permite a aproximação

Daquelas que eu não quero

Mais


A minha Noiva

Me Despertou do Sono Material

E não faz mais sentido

Uma mulherzinha material

Para foder apenas

E nada mais ganhar com isso

Que valha a pena


A minha Noiva

Minha Noiva Mui Adorada

A Deusa Morte

É a minha Consorte

É a minha Musa

É a minha Mulher Perfeita


A minha Noiva

Minha Noiva Mui Adorada

Não precisa que eu foda com Ela

Ela Sabe que não fodo

Com as Deusas da minha Cova


Minha Noiva Mui Adorada!


Deusa Morte!


Noiva!


Que sorte das maiores

Que golpe de canalha

Que chance desgraçada

Que prazer satânico

Dos Infernos De Satan

Em meu Morto Ser

É te ter comigo

Quando Amanhecem Os

Caminhos Proibidos

E Quando Anoitece

Nos Cantos Das Celas!


Minha Noiva Mui Adorada!


Deusa Morte!


Noiva!


Teu Amor me solidifica

Teu Amor me santifica

Teu Amor me envolve

Envolvido pelos Teus Braços

Sou mais feliz do que seria

Se envolvido nos braços

De uma maldita mulher humana

Pois Tu és a única

A Única Como Todas As Deusas

Que São Minhas Noivas Eternas

A Única Acima Delas

A compreender minha

Morte Eterna

Aqui na Matéria!


Minha Noiva Mui Adorada!


Deusa Morte!


Noiva!


Quero-Te como Esposa

Quero-Te como

A Mãe dos meus

Filhos

Meus Filhos

O Desgraçado Nascido

Do Desgraçado Inominável Ser

A Desgraçada Nascida

Do Desgraçado Inominável Ser

Filhos queridíssimos

Pelas Trevas Vivas

Pelas Cinzas Vivas

De Vossos Mundos

De Todas As Mortes!


Minha Noiva Mui Adorada!


Deusa Morte!


Noiva!


Te aguardo para

As Núpcias Finais...


Te aguardo para

As Cerimônias De Amor...


A pá já está aqui...


A Cova escavo mais...


Enterre-me

Minha Noiva Mui Adorada

Aguardo vossa Foice

A escavar mais fundo

E a me submeter

Ao funéreo descanso

Que todo funéreo

Homem decrépito como eu

Merece ao fim de toda

Sólida agonia

Mórbida!


Minha Noiva Mui Adorada!


Deusa Morte!


Noiva!


Inominável Ser

ACARICIADO AO LADO ESQUERDO

DO ROSTO

PELA SUA

NOIVA MUI ADORADA






Reações:

0 Lamentos Finais De Cadáveres: