sexta-feira, 1 de junho de 2007

Clara Da Cova


Gotas de sangue menstrual

Pelo cemitério que percorro

Em um meia-noite

Demonstram-me que a obscura

Clara Da Cova

Pontua suas caminhadas

Com as gotas de sua santidade

De Filha Da Deusa Meia-Noite

Desnudada

Desnudada

Desnudada

Nua

Nua

Nua

Clara Da Cova nua

Clara Da Cova diante

Da cruz gótica do cemitério

Denominado

O Sendeiro Dos Ossos Fracassados

Caídos De Cadáveres Fodidos

Nua se encontra

Nua se encontra

Nua se encontra

Nua eu a encontro

Nua eu a encontro

Nua eu a encontro

A Lua Negra uiva

A Lua Branca se excita

A Lua Vermelha geme

A Lua Cinzenta vocifera

Palavras místicas desconhecidas

Dos tolos que não sabem

E não devem caminhar

Em um cemitério

Em qualquer hora do dia

Em qualquer hora da noite

Em qualquer meia-noite

Em qualquer meia-noite

Em qualquer meia-noite

Toda noite

Toda noite

Toda noite

Clara Da Cova ali está

Clara Da Cova ali está

Alimentando os Exus Caveiras

Amamentando os Exus Da Foice

Gargalhando junto com

As Marias Padilhas Dos Cemitérios

Sapateando ao som

Da Balada Cósmica Dos Ossos Fracassados

Com Maria Padilha

Das Santas Almas Benditas

E com Maria Padilha

Das Profanas Almas Malditas

E com Maria Padilha

De Nenhuma Alma Nascida

Dança Clara Da Cova

Dança Clara Da Cova

Dança Clara Da Cova

Danço com

Clara Da Cova

Danço com

Clara Da Cova

Danço com

Clara Da Cova

O sangue menstrual

De Clara Da Cova

Mancha minha negra túnica

E enlouquecido ao tocar-lhe na pele

Chupo-lhe a buceta maldita

Todo aquele sangue escorre

Escorre até meus pés

Mancha então toda

A minha roupa

Ela gargalha prazerosa

Ela gargalha prazerosa

Ela gargalha prazerosa

Eu gozo

Eu gozo

Eu gozo

Meu esperma ela engole

Meu esperma ela adora

Fodemos

Fodemos

Fodemos

Diante da cruz gótica

Diante do caralho miserável

De uma cruz

Fodemos

Fodemos

Fodemos

A Deusa Meia-Noite

Nos reservou uma lápide

Eu penetrei Clara Da Cova

Em cima da lápide

De um outro Coveiro falecido

De um outro Inominável falecido

Ela engravidou

Ela engravidou

Ela engravidou

Clara Da Cova

Engravidou de mim

Clara Da Cova

Engrvidou de mim

Clara Da Cova

Engravidou de mim

Nasceu um Horrendo Ser

Nasceu um Abominável Ser

Eu renasci

Eu renasci

Eu renasci

Após foder com Clara Da Cova

Eu Sou O Horrendo Ser

Eu Sou O Abominável Ser

E também

Claro seus filhos de uma puta

De uma puta que teve a buceta chupada

Pelos seus pais

E engoliu os espermas

De seus pais

Também

Sou O Inominável Ser

E Clara Da Cova

É A Mãe Inominável

Do Meu Trevoso Ser


Inominável Ser

FILHO DE CLARA DA COVA





Reações:

0 Lamentos Finais De Cadáveres: