domingo, 25 de novembro de 2007

Galanna Maralaya


Diante dos corações malditos

Amordaçados diante das Brumas

As Brumas De Dydorah

Galanna Maralaya

A Musa Amaldiçoada

Das Potências Abismais

É A Serpente Que Se Arrasta

Entre As Podres Paragens

De Cada Humana Maldita

Desgraça


Malditos ancorados

Malditos arruinados

Malditos destroçados

Escárnio roubo assassinato

Estupro estrangulamento

Esfaqueamento afogamento

Galanna Maralaya

É A Serpente Maldita

Quando Se Assemelha

Ao Prato Maldito Diário

Que Alimenta A

Humanidade

É É

A Maldita Serpente

Enroscando-Se Ao Pescoço

De cada maldito

E de cada maldita

Da Humanidade


Devoradas crianças

Devoradoras crianças

Malditas crianças cantam

Para Galanna Maralaya

Malditas crianças

Da Maldita Criança

A Maldita Criança

Que É O Filho Abortado

Da Deusa Maldição

Filho Tão Serpente

Como Galanna Maralaya

Filho Amante

De Galanna Maralaya

Filho Amado

Por cada maldito

E por cada maldita

Da Humanidade


Ventania maldita

Maldita ventania

Rostos sem expressões

Rostos sem ações

Venenosas Outras Serpentes

Em Galanna Maralaya

Outras Serpentes

Do Alvorecer

Outras Serpentes

Do Meio-Dia

Outras Serpentes

Do Entardecer

Outras Serpentes

Do Anoitecer

Outras Serpentes

Da Meia-Noite

Outras Serpentes

Da Madrugada


Galanna Maralaya

Minha Serpente Amante

Minha Serpente Amada

Minha Serpentina Consorte

Com a qual me uno

Diante dos

Altares De Dolock

Altares Erguidos

Para Os Espíritos Amaldiçoados

Para Os Amaldiçoados Espíritos

Da Criação

No Coração Maldito

No Maldito Coração

Das Trevas De Todas

As Maldições

Conhecidas

Desconhecidas

Nomeáveis

Inomináveis


Galanna Maralaya

Abre a sua vagina

Meu pênis a consagra

Serpentes em meu sêmen

Serpentes no líquido seminal

Dela

Eu me nutro do líquido

Ela se nutre do meu sêmen

Na Grande Foda Serpentina

Vamos assim nos unindo

Diante Da Sombria

Maldita Face

Da Mulher Universal

Diante Da Sombria

Maldita Face

Do Homem Universal

Diante Das Sombrias

Malditas Faces

Dos Deuses

Diante Das Sombrias

Malditas Faces

Dos Demônios

Diante Das Sombrias

Malditas Faces

Dos Anjos

Diante Das Sombrias

Malditas Faces

Dos Arcanjos

Diante Das Sombrias

Malditas Faces

Dos Inomináveis

Diante Da Sombria

Maldita Face

Do Inominável Desconhecido


Galanna Maralaya

E eu

Diante Da Maldita Face

Do Caos Fodendo Com

A Ordem

Geramos Malditas Crianças

E eu absorvo Dela

Todas As Malditas Forças

Da Deusa Maldição

Pois sou maldito

Desprezando as porras

Das mulheres humanas

Desprezando as porras

Das crianças humanas

E procurando

E conseguindo

E encontrando

Nos Braços Delas

De Senhoras Supremas

Nos Malditos Véus

Da Grande Noite

Como Elas

Como Todas

Que Amo

As Gerações De Filhos

Filhos Todos

Que São Os Perigos

Presentes N'Alma Minha

Filhos Todos

Que São As Serpentes

Presentes Nas Mãos Minhas

Filhos Todos

Que São Devorados

Por Mim

Para A Glória Do Ego

Que Me Movimenta

Em Direção

À Grande Serpente

Da Criação

A Verdadeira Kundalini

A Grande Serpente

Em Mim

Enroscando-Se

Em Mim

Enroscando-Se

Em Mim

Enroscando-Se

Em Mim

Enroscando-Se

Em Mim

Enroscando-Se

Em Mim

Enroscando-Se

Em Mim

Enroscando-Se

Em Mim

Enroscando-Se

Em Mim

Enroscando-Se

Em Mim

Enroscando-Se

Em Mim

Enroscando-Se

Em Mim

Enroscando-Se

Em Mim

Enroscando-Se


GALANNA MARALAYA

É

A GRANDE SERPENTE


GALANNA MARALAYA

É

A GRANDE SERPENTE


GALANNA MARALAYA

É

A GRANDE SERPENTE


DUMYAR

DARANA

SOBATE

FRAESE

DUGYN

DUGYUA

DUGYAVA


Inominável Ser

ENROSCADO À

GRANDE SERPENTE




Reações:

0 Lamentos Finais De Cadáveres: