terça-feira, 11 de março de 2008

Evredyo


Ali onde as mil prostitutas amantes

do desgraçado denominado

portador de todos os ditos

cristãos pecados,

nasceu Evredyo,

criança que chorava entre

o sangue de um coração

arrancado de uma outra criança

e o cuspe e o vômito

de um Espírito Das Trevas

indômito e desgraçado.

Evredyo cresceu

no Vale Dos Desgraçados

Caminhantes Das Madrugadas,

viajando por entre campos

onde somente lágrimas faziam

as vozes altas de baixas

camadas.

Evredyo cresceu

assistindo ao estupro dos

altos dias de seus companheiros,

Os Desgraçados Caminhantes

Das Madrugadas,

Aqueles Que Saboream A Larva

Da Humana Podridão

Das Abertas Valas

Da Humana Alma.

Evredyo saboreou

e saboreia

e soboreará

do cheiro da carne morta

e do sangue morto

dos humanos desgraçados,

dos desgraçados humanos,

nas madrugadas,

sempre nas madrugadas,

que se despedem da materialidade

esfaqueando e sendo esfaqueados,

estuprando e sendo estuprados,

esquartejando e sendo esquartejando,

esfolando e sendo esfolados,

torturando e sendo torturados.

Evredyo esteve lá,

lá quando Hitler chegou

ao Umbral Das Condenações,

lá quando Mussolini cegou

ao Umbral Das Condenações,

lá quando Pinochet chegou

ao Umbral Das Condenações,

lá quando Torquemada chegou

ao Umbral Das Condenações,

lá quando Bathory chegou

ao Umbral Das Condenações,

lá quando toda canalha

e todo fascínora

e todo desgraçado ser

devotado ao destruir dos demais

chega,

chegará,

chegou.

Evredyo sempre esteve lá,

desde Kain,

desde A Queda De Lúcifer,

desde A Queda De Satan,

desde A Chegada Do Diabo

Advindo Das Criações

Anteriores,

Ele Viu Tudo Nascer,

Ele Vê Tudo Nascer,

Nele Tudo É

O Segundo Nascer,

Nele Tudo É

O Terceiro Nascer.

Evredyo É

O Segundo Nascer

De Toda Desgraça

Humana

Refletindo-Se Pelas

Madrugadas.

Evredyo É

O Terceiro Nascer

Das Fontes Das Desgraças

Humanas

Jorrando Pelos Rios Das

Madrugadas.

Evredyo É

O Primeiro Da Madrugada,

O Primeiro,

Primeiro Na Desgraça,

Na Desgraça Definitiva,

Na Desgraça Angustiada,

Nas Madrugadas Cósmicas

Da Deusa Madrugada,

a ter que conduzir

um ser humano que se desgraçou

madrugadoramente

pelos Caminhos Que Conduzem

Aos Vales Dos Suplícios,

Aos Vales Dos Tormentos,

Aos Vales Abismais

Das Madrugadoras Condenações.

Evredyo,

O Porteiro,

Tem As Chaves.

Se você aí se desgraçar,

Vai estar ao lado de

Evredyo.

Se você aí se desgraçar

madrugadoramente,

com todo desprazer e desprezo

Evredyo te conduzirá

a um dos Vales que te fará

reduzir-te ao intenso desgraçar

mais baixo ainda

do que a desgraça humanamente

moldada

que tu já és.

Evredyo

Balança As Chaves

Nas Madrugadas...

Ouço

Evredyo...

Evredyo já me conduziu

A um dos Vales...

Sou Do Vale Das Covas

Desgraçadas,

Evredyo me conduziu

ao Vale onde estão

terríveis monstros

como eu.

Evredyo soltou-me

para que hoje nesta Cova

eu narre a você

um destino futuro

que pode ser teu.

Evredyo Vê

muitos em direção

aos Poços Desgraçados

Do Abismo.

Evredyo pode estar vendo

Você,

Você mesmo aí,

Desgraçado,

Dsgraçada!

Evredyo balança

As Chaves...

Você consegue ouvi-Lo,

Desgraçado?

Você consegue ouvi-Lo,

Desgraçada?

Evredyo pegará vocês

nas madrugadas de vossas

futuras possíveis desgraças,

vocês estão fodidos,

seu desgraçado,

sua desgraçada,

O Abismo já lhes tem,

Os Vales E Seus Caminhos

já são seus.

Evredyo vê,

tanto como eu,

que nenhum aí,

aí mesmo sentado

em frente ao computador,

é diferente de Hitler,

é diferente de Mussolini,

é diferente de Pinochet,

é diferente de Torquemada,

é diferente de Bathory.

Evredyo Vê,

eu Vejo,

e novamente me desgraço

madrugadoramente

porque não sou também

diferente deles,

O Vale Das Covas Desgraçadas

está a chamar-me

de volta...

Nós,

talvez,

nos vejamos lá,

Desgraçado!

Nós,

talvez,

nos vejamos lá,

Degraçada!

Evredyo,

Evredyo,

Evredyo,

balança As Chaves...

Eu ouço...

Você ouve,

desgraçado...

Você ouve,

desgraçada...

Bem-vindos,

Evredyo lhes conduzirá

aos Vales que lhes

competirão ficar

após o término dos vossas

materiais desgraçadas

madrugadoras respirações!


Inominável Ser

EM ESTADO PERMANENTE

DE MORADIA

NO VALE DAS COVAS

DESGRAÇADAS




Reações:

0 Lamentos Finais De Cadáveres: