sábado, 17 de maio de 2008

As Trevas Das Auroras Findas




Passeando pelos verões mudos
De sóis obscurecentes,
Raiam trevas nos clarões
Das auroras findas nas ilusões.



Todas
As
Auroras
São
Iguais!



Na boca minha solitária toda
Blasfêmias tolas se divertem
Dançando divertindo-se muito
Nos cuspes que lanço no mundo.



Todas
As
Auroras
São
Iguais!



Perdi há milênios perdidos muitos
Os calçados que me davam a paz,
Aquelas asas das cidades já mortas
Como mortas são as minhas rosas.



Todas
As
Auroras
São
Iguais!



Prêmios ofereço ao Diabo meu amigo,
Meu amigo Diabo Lúcifer Satanás,
Pois teu riso ouço nos bosques
Onde Lilith é voraz.



Todas
As
Auroras
São
Iguais!



Diabo Lúcifer Satanás,
As trevas tuas são minhas irmãs,
O sol está encoberto,
A lua nada reflete.



Todas
As
Auroras
São
Iguais!



Diabo Lúcifer Satanás,
Tenho trevas no almoço,
Tenho trevas no jantar,
Trevas é o meu lar trevoso lar.



Todas
As
Auroras
São
Iguais!



Diabo Lúcifer Satanás,
O tempo oferece-me a escolha
Entre envelhecer como entardecer
Ou esmorecer como estremecer.



Todas
As
Auroras
São
Iguais!



Diabo Lúcifer Satanás,
Oferto às trevas todo o licor
Das lágrimas extintas do labor
Dos meus olhos que buscavam o lilás.



Todas
As
Auroras
São
Iguais!



Diabo Lúcifer Satanás,
Presas nos cárceres das trevas
Estão aquelas regras terminais
Da formosura dos finais mais.



Todas
As
Auroras
São
Iguais!



Diabo Lúcifer Satanás,
As trevas evocam-me no círculo
Dos anos sem fixos ciclos normais
De dias longos fatais espinhais.



Todas
As
Auroras
São
Iguais!



Diabo Lúcifer Satanás,
Arrastando-se com as trevas
Vejo as janelas das moradias
Das vielas macias infernais.



Todas
As
Auroras
São
Iguais!



Diabo Lúcifer Satanás,
As moradias angelicais são vadias
Que derramam as suas urinas
Nas faces de anjos virginais.



Todas
As
Auroras
São
Iguais!



Diabo Lúcifer Satanás,
As igrejas das trevas são as telas
Dos pintores de uma religião
Chamada razão da enganação.



Todas
As
Auroras
São
Iguais!



Diabo Lúcifer Satanás,
Minha família grandiosa perdida fica
Querendo encontrar nas trevas das horas
O seu sentido de família reunida.



Todas
As
Auroras
São
Iguais!



Diabo Lúcifer Satanás,
Minha ira é tão das trevas
Quando toda ida à favela das ruas
Obriga-me a caminhar entre danificados.



Todas
As
Auroras
São
Iguais!



Diabo Lúcifer Satanás,
Um beijo de ratazana barata do lixo
Veio a mostrar-me o tão caro limbo
Do feitiço destruidor da carne.



Todas
As
Auroras
São
Iguais!



Diabo Lúcifer Satanás,
A caminhada do meu pé esquerdo
Atrapalha a marcha do meu pé direito,
Sou coxo em espelho de defeitos.



Todas
As
Auroras
São
Iguais!



Diabo Lúcifer Satanás,
Nado em praias de areia rala,
A água do mar é ácida,
As trevas bronzeiam-me fartas.



Todas
As
Auroras
São
Iguais!



Diabo Lúcifer Satanás,
Serpenteiam em meu serpentear
As chagas de Lazarus Baphomet
Adoradas pelo mal em mim animal.



Todas
As
Auroras
São
Iguais!



Diabo Lúcifer Satanás,
Os chamados do clarear das lamas
Soltam nas chamas do meu leito
A chuva do sangue dos desafortunados.



Todas
As
Auroras
São
Iguais!



Diabo Lúcifer Satanás,
Baudelaire Rimbaud Florbela Álvares
Augusto Cruz e Souza Goethe Poe
Estão a rimar comigo no revoar.



Todas
As
Auroras
São
Iguais!



Diabo Lúcifer Satanás,
Sou filho pagão do Templo Da Perdição,
Sacrifico-me ao pão dos roubos
De toda infelicidade minha mãe.



Todas
As
Auroras
São
Iguais!



Diabo Lúcifer Satanás,
Pratico a arte de receber mensagens
Das rodas dos veículos mestres
Da não-imagem em cartazes.



Todas
As
Auroras
São
Iguais!



Diabo Lúcifer Satanás,
Medito na morte revista gratuita
No cargo de presidente do meu clube
De muitas mortes em grutas.



Todas
As
Auroras
São
Iguais!



Diabo Lúcifer Satanás,
Nascido no Ponto Dos Crucificados
Sou um Jesus Sem Cristo
De uma romaria de prejuízos.



Todas
As
Auroras
São
Iguais!



Diabo Lúcifer Satanás,
Bendito no bálsamo batismal
Dos brutos desesperados alvos
Emito loucos gritos rijos.



Todas
As
Auroras
São
Iguais!



Diabo Lúcifer Satanás,
Crescido crescendo demasiado
Na vala das trevas terrestres
Tremo viajando pelos furacões.



Todas
As
Auroras
São
Iguais!



Diabo Lúcifer Satanás,
Amadurecendo amadurecido como
Fruta de árvore nula de frutos
Tempero meu manjar com lodaçais.



Todas
As
Auroras
São
Iguais!



Diabo Lúcifer Satanás,
Frêmitos de estúpida mentira
Avassalam-me na ida tardia
Do meu pensamento aos alvos vazios.



Todas
As
Auroras
São
Iguais!



Diabo Lúcifer Satanás,
Um pentagrama de dívidas tortas
Está traçando-se na porta
Dos portões da minha pocilga.



Todas
As
Auroras
São
Iguais!



Diabo Lúcifer Satanás,
Aparecem-me nas visões futuras
As visões do ontem nos dias
Das minhas visitas aos meus funerais.



Todas
As
Auroras
São
Iguais!



Diabo Lúcifer Satanás,
Esvoaçante nas cadeias das cósmicas
Vias das costas dos mares-com-fins
Vejo partos de estrelas natimortas.



Todas
As
Auroras
São
Iguais!



Diabo Lúcifer Satanás,
As âncoras do meu navio abatido
Pela frota de bandidos risonhos
Quebram-se no fundo do oceano do pânico.



Todas
As
Auroras
São
Iguais!



Diabo Lúcifer Satanás,
As pequenas virtudes dos gestos
Das mãos minhas em berços
Afugentam as crianças do desterro.



Todas
As
Auroras
São
Iguais!



Diabo Lúcifer Satanás,
O desgraçado eu que me ruge
É leão venerado nas caçadas
Como animal recheado de palhas.



Todas
As
Auroras
São
Iguais!



Diabo Lúcifer Satanás,
Meus gostos são da pedra árida
Dos continentes desérticos bastardos
Cujos pais são cães mortos na estrada.



Todas
As
Auroras
São
Iguais!



Diabo Lúcifer Satanás,
Meus deuses foram ontem enterrados
Em faustoso cemitério chamado
O sabor do meu cremador escarro.



Todas
As
Auroras
São
Iguais!



Diabo Lúcifer Satanás,
Minhas orações são agora destruídas
Em batalha final de uma guerra
Na qual Deus foi empalado pelo rabo.



Todas
As
Auroras
São
Iguais!



Diabo Lúcifer Satanás,
As trevas Tuas filhas que Tu és
São estas auroras findas coroadas
De amamentadas adagas envenenadas.



Todas
As
Auroras
São
Iguais!



Diabo Lúcifer Satanás,
As trevas minhas companheiras que Tu és
São estas auroras findas espetaculares
Cujos ares esportivos são eficazes.



Todas
As
Auroras
São
Iguais!



Diabo Lúcifer Satanás,
As auroras findas afirmam lindas
Que são mulheres imortais
Sedutoras com faces de metais.



Todas
As
Auroras
São
Iguais!



Diabo Lúcifer Satanás,
Aos fins das auroras findas dolosas
Meço o peso de todo choro requintado
Esboçado pelos olhos meus mutilados.



Todas
As
Auroras
São
Iguais!



Diabo Lúcifer Satanás,
As trevas nas auroras findas dengosas
São loucas senhoras de vestes
Que rasgam todo perene que se despe.



Todas
As
Auroras
São
Iguais!



Diabo Lúcifer Satanás,
A droga ilusória se acabou lodosa,
O remédio falso se afundou intoxicado,
O médico ingrato perdeu seu salário.



Todas
As
Auroras
São
Iguais!



Diabo Lúcifer Satanás,
Construo um império de ferro aço
Titânio chumbo lata que enferruja
Com a minha imperatriz sendo estuprada.



Todas
As
Auroras
São
Iguais!



Diabo Lúcifer Satanás,
A alavanca da máquina massa caiu
E os brinquedos do antigo brincar
Meu tormentoso findar iniciaram.



Todas
As
Auroras
São
Iguais!



Diabo Lúcifer Satanás,
As derrotas do diário eterno mantido
Pelo meu escrever no ermo Espírito meu
São prendas do meu lago deformado.



Todas
As
Auroras
São
Iguais!



Diabo Lúcifer Satanás,
A vitória obtive empalando Deus,
Mas não comemoro tal façanha porque
As trevas das auroras findas são Deus.



Todas
As
Auroras
São
Iguais!



Inominável Ser

INCANSAVELMENTE

COMBATENDO

AS TREVAS DAS AURORAS

FINDAS









Reações:

0 Lamentos Finais De Cadáveres: