quarta-feira, 14 de maio de 2008

Desgraça De Anjo Alquebrado


Na esquina da

Rua Do Caralho

Com a

Rua Da Prostituta

Mais Fodida Do Caralho,

Encontrei um

Anjo Alquebrado.


Cheio de tristeza,

Tristeza prá caralho,

O Anjo Alquebrado

Encolhido se encostava

Em um muro de fezes

Deixadas por um mendigo

Do caralho.


"Caralho,

Que Anjo é esse

Nessa Rua Do Caralho

Repleta de sujos do caralho

Como eu?",

Indaguei-me prá caralho,

Assumi meu lado indagador.


"Caralho,

Devo falar com Ele,

Tal Anjo deve estar

Retalhado n'alma

E com bruto mal-estar!",

Decidi me aproximar

Ignorando o cheiro de fezes lá.


Caminhando prá caralho,

Passando por uma estuprada

E por um enforcado,

Passando por um suicida

E por um sodomita,

Fiquei em frente ao Anjo,

O Anjo Alquebrado.


Mas que caralho,

Caralho,

O Anjo Alquebrado

Nem me encarava,

O Anjo Alquebrado

Nem se movia,

O Anjo Alquebrado meditava!


Vigiei-O assim,

Caralho,

Enquanto Ele meditava,

Afastei todo doente,

Mais do que eu,

Um doente do caralho,

Que poderia agredi-Lo.


Vigiei-O,

Caralho,

Curioso por saber o que

Tal Anjo Do Alto,

Livre Da Queda E Da Carne,

Fazia ali naquela esquina

De Todos Os Caralhos!


Tempo passou

Prá caralho,

Eu me sentei perto

De algumas fezes,

Que fedor,

Caralho,

Que fedor do caralho!


Tempo passou

Prá caralho,

O Anjo Alquebrado

Parou de meditar,

Ele me encarou,

Ele se moveu,

Ele falou:


"Amigo Inominável,

Quanto tempo aqui ficastes,

Eu estive meditando

Em prol das agruras

Das minhas

Altas Paisagens,

Que nadam Altas.


Como meditei nas Rosas,

Como cheirei,

Meditando,

As Rosas,

Rosas Do Alto Amor

Das Coisas Transitando

Em Perpétuo Ardor.


Como meditei,

Aqui nesta Rua,

Pelo Alto,

Como me sinto parte

Desta Rua,

Rua Do Caralho,

É o nome Dela...


Harpas,

Orações,

Cânticos,

Livros Altos,

Vôos Altos,

Para que uma Humanidade

Nem se lembre de Lá...


Salvar existências perdidas,

Voar por paragens mui sombrias,

Tecer mantos para os mais

Despreparados para

A Humana Vida,

Que tédio,

Tédio Eterno...


Ser não-visto,

Ser esquecido,

Por Humanidades no Baixo

Que se digladiam pelas

Vozes Da Deusa Carne,

Pelas Vozes Da Deusa Matéria,

Vozes Humanas Demais...


Alquebrado,

Estou Alquebrado,

Asas Alquebradas,

Vôos Alquebrados,

Tudo Alquebrado,

Todo Alquebrado,

Tolo Alquebrado...


Sou Ramyziel,

O Anjo Alquebrado,

Estúpido Anjo aqui

Na Rua Do Caralho,

Filho De Um Eterno Pai

Que Apenas É

Um Caralho De Pai!"


A Voz Alquebrada,

A Voz Do Anjo Alquebrado,

Caralho,

Assumiu O Teor

De Trovões Infinitos

E De Infinitas

Quedas De Raios!


A Fúria Alquebrada,

A Mágoa Alquebrada,

Daquele Anjo Alquebrado,

Caralho,

Arremeteu contra todos ali,

Todos os sujos em redor Dele,

Um Limpo Ser Do Alto!


Minhas Palavras,

Caralho,

Despareceram,

Encontrei um Anjo Elevado

Que como eu

Afirma que o tal suposto Pai Eterno

Seja um Caralho De Pai!


Fiquei calado,

Ficamos calados,

Caralho,

E diante de nós,

Na Rua Do Caralho,

Próxima à Rua Da Prostituta

Mais Fodida Do Caralho...


Diante de nós,

Caralho...


Ali,

Diante de nós,

Caralho...


Sim,

Ali diante de nós,

Ali,

Caralho...


Sim,

Sim,

Ali diante,

Diante de nós,

Caralho...


Sim,

Sim,

Sim,

Ali,

Diante de nós,

Caralho...


Ali diante de nós,

Caralho,

O Caralho Do Deus Único

Cagava Nos Muros Da Criação

E Todas As Humanidades,

As Altas E As Baixas,

Recebiam Suas Fezes Do Caralho!


E eu compreendi,

Caralho,

Porque encontrei aquele

Anjo Alquebrado

Na Rua Da Esquina Do Caralho

Com A Rua Da Prostituta

Mais Fodida Do Caralho...


Inominável Ser

INFESTADO PELAS FEZES

DO CARALHO DO

DEUS ÚNICO




Reações:

0 Lamentos Finais De Cadáveres: