quarta-feira, 21 de maio de 2008

Maldições De Uma Puta Das Trevas


Diante Da Caveira Dos Malditos

Estuprados,

Diante Das Cinzas Das Crianças

Torturadas,

Diante Das Sombras Eternas

Que Choram Sangue E Dores,

Eis uma

Puta Das Trevas!


Trevosa arrombada,

Trevosa dona de cu comido

Até pelos Titãs Das Trevas,

Vadia escrota,

Escrota,

Escrota,

Escrota!


Se contorce

A Puta,

Se contorce toda,

Ela é Filha

Do Fel Do Sêmen

Dos Esgotos Astrais

Com O Barro Feminil

Dos Umbrais Das Trevas,

Uma Cria De Valahot

E Uma Degenerada

De Balahar!


Entre Ela

E os demais que

Lhe caçam para foder,

Há os Vermes Aniquiladores,

Turbas De Despedaçados,

Turbas De Desamparados,

Turbas De Dementes

Doentes Dedicados

Ao Atormentar De Todas

As Putas Das Trevas

Como Ela,

Uma Puta,

Uma Puta,

Uma Puta!


Não há alcance de

Luzes,

Não há sequer uma chance

Da chegada

De alguma Luz

Em um lugar

Como Paromaodoroch,

O Abismo Das Putarias

Eternas Que Acolhem

Todos Os Puteiros

Terrestres,

Abismo no qual

Nossa Senhora Aparecida,

Santa Luzia

E Santa Rita

Foram curradas

Como meras putas

Pelos Guardiães

Dos Puteiros

Quando Luz tentaram

A Eles Levar!


E a Puta Das Trevas

Que balança em minha direção

Seu corpo cheio de

Sombras Dos Aeons Perdidos

Encanta meu olhar

De Puto Bardo Inominável,

Quero me envolver nas

Sombras Dela,

Quero me encontrar

Muito mais encontrável

Nas Sombras Dela,

Encante-me,

Puta,

Encante-me,

Sua Puta,

Sua Puta,

Sua Puta!


Ranço de estigmas,

Peles de leprosos,

Cuspes de aidéticos,

Vômitos de tuberculsosos,

Escarros de cancerosos,

Caralho maldito,

Caralho maldito de

Dimensão Das Trevas,

Caralho maldito de

Mundos Das Trevas,

Como é maravilhosa

Esta Puta Das Trevas,

Como é dadivosa

Esta Puta Das Trevas,

Como é delicadamente

Cachorra Das Trevas

Esta Puta Das Trevas!


Deusa Maldição,

Obrigado,

Obrigado por esta

Puta Das Trevas,

Mulher melhor do que

As putas de carne e osso

Que todo dia por mim

Passam lânguidas

Ou lépidas

Com seus encantos assassinados

De damas cristãs,

De damas protestantes,

De damas atéias,

Que me dão nojo,

Pois são putas comuns

Que nada me dizem,

Quero Putas Das Trevas,

Quero uma Puta Das Trevas

Como esta que se contorce

Em sensual deleitar-se

Diante de mim,

E não uma mulherzinha humana

Que mais quero estrangular

Do que amar!


Inominável Ser

AMANDO

UMA PUTA

DAS TREVAS

E TODAS

AS PUTAS

DAS TREVAS




Reações:

0 Lamentos Finais De Cadáveres: