sexta-feira, 29 de agosto de 2008

Lágrimas Infinitamente Miseráveis De Uma Filha Das Trevas


Já passei pelo Vale Das Sombras Desgraçadas... Já beijei a Face Da Vala... Já pesquei nos Rios Dos Miseráveis... Ah, meu irmão, irmão, irmão Inominável Ser... Arrasada... Arranhada... Arruinada... Meu nome das Trevas é Ameerer...


Sei das vossas

Lágrimas,

Ameerer...


Sou também

Um

Arrasado...


Sei das vossas

Lágrimas,

Ameerer...


Sou também

Um

Arranhado...


Sei das vossas

Lágrimas,

Ameerer...


Sou também

Um

Arruinado...


O Cão Das Trevas uivando me deixa mais louca... A Deusa Loucura, ah, meu irmão... A Deusa Loucura... Me movo, me renovo, para chorar... Meu novo é cada lágrima minha na estupidez do meu querer parar de chorar... Sou estúpida, meu irmão, estúpida... Trevas... Minhas Trevas... Nossas Trevas... Meu nome das Trevas é Andreder...


Sei das vossas

Lágrimas,

Andreder...


Estúpido

Eu

Sou...


Sei das vossas

Lágrimas,

Andreder...


Não

Paro

De

Chorar...


Sei das vossas

Lágrimas,

Andreder...


Minhas

Trevas

Querem

Meu

Lacrimejar...


Meu solo é uma lama inteira de ódios, meu irmão... Meus passos são mortes, meu irmão... Meus pequenos descansos são nas Águas De Rumeneus... Me afogo grávida nas Águas de filhos que tenho com a minha Eterna Mortalha... Remendo minhas roupas... Rasgo minhas roupas.. Queimo minhas roupas... Estou nua... Estou revestida... Nua e misérável... Revestida e miserável... Meu nome é Jaclerer...


Sei das vossas

Lágrimas,

Jaclerer...


Desnudo-me

Lacrimoso...


Sei das vossas

Lágrimas,

Jaclerer...


Revisto-me

Lacrimoso...


Sei das vossas

Lágrimas,

Jaclerer...


Estou

Nu

E

Sou

Miserável...


Sei das vossas

Lágrimas,

Jaclerer...


Meu riso é dos doentes...


Eu

Sou

Doente...


Meus passos são dos dementes...


Eu

Sou

Demente...


Meus nomes ecoam...


Eu

Sou

Eco...


Meus nomes vomitam...


Eu

Sou

Vômito...


Eu não tenho Mãe...


Eu

Sou

Estéril...


Eu não tenho Pai...


Eu

Sou

Castrado...


Miséria...


Eu

Sou

Miserável...


Miséria...


Eu

Sou

Miserável...


Miséria...


Eu

Sou

Miserável...


Socorro...


Eu

Não

Posso

Socorrer-te...


Eu

Sou

Miserável...


Eu

Tenho

Lágrimas

Infinitamente

Miseráveis...


Eu

Tenho

As

Suas

Lágrimas...


Socorro...


Socorro...


Socorro...


Socorro...


Socorro...


Socorro...


Socorro...


Socorro...


Socorro...


Socorro...


Inominável Ser

E A SUA

IRMÃ DAS TREVAS

PEDINDO SOCORRO

PARA LIVRAREM-SE

DE SUA UNA

DEUSA MISÉRIA

QUE LHES DÁ

LÁGRIMAS

INFINITAMENTE

MISERÁVEIS





Reações:

0 Lamentos Finais De Cadáveres: