quarta-feira, 17 de dezembro de 2008

As Visões De Dagon No Abismo Das Peles - Canto II


As Chamas Do Solitário Glorioso Patamar Da Carne Abismal Agitam As Vestes Dos Sacerdócios Que Se Apresentam Nos Estados Internos Dos Templos Carnais. Toda Carne, No Abismo, Fora Da Abismo, Sempre No Abismo, Exerce Um Sacerdócio, Tanto Quanto O Sangue Dos Umbrais Exerce Sobre Os Que Andam Pelas Esquinas Torturadas O Sacerdócio Do Alimento Que Se Compraz. O Sacerdócio De Dagon É A Disciplina Da Loucura Carnal, A Definidora Razão De Cair No Abismo Sem Se Atrever A Querer Livrar-Se De Todas As Suas Entranhas A Mais. Passo A Passo, Fogo A Fogo, Gemido A Gemido, Suor A Suor, A Sacerdotisa Ilana Me Reconduz Ao Sacerdócio Meu Não-Esquecido Nestas Vestes Minhas Atuais De Humano Breu. A Estrutura De Pele E Nervos E Carne Entre As Minhas Pernas Segreda Ao Meu Espírito Lembranças De Meu Sacerdócio Em Ambientes Que Aquecem Apenas Aos Que Sabem Ser Um Aquecimento Do Maior E Do Menor. Com Dagon, Sou Aquecedor do Maior... Com Dagon, Sou Aquecedor Do Menor...



O Mistério Do Corpo,

Sacerdócio Dos Mundos,

Sacerdócio Dos Submundos,

Sacerdócio Dos Abismos

Que No Abismo

São Horizontes Caríssimos.


O Preço Pago

Pelo Arriscar-Se A Ser

Sacerdote Abismal

É O Do Tributo Dado

Aos Grandes Seres

Que Se Afundam Sem Pesar.


Gigante É O Que Se Deixa

Queimar Bem Nas Chamas

Do Pai Dagon,

A Coroa De Escorpiões,

O Cetro De Ratos,

Dados A Tal Ser Maior.


Gigante É O Sacerdote De Dagon,

Detentor Das Impurezas

Da Abismal Devassidão,

A Devassidão Dos Fortes,

Pois Apenas O Abismo Aceita

Os Devassos Fortes.


Gigante,

Gigante De Dagon,

Gigantes De Dagon,

Genuínas Senhoras,

Genuínos Senhores,

Sedutores Do Fruto Do Dragão!


Sou Um Gigante

De Dagon,

Meu Sopro É Uma Fera

Que Arrebata As Fêmeas

Que Nas Trevas Abismais

Estão A Amar-Me!


Sou Gigante

De Dagon,

Amo Aquelas Que Nas

Trevas Abismais Amadas

São As Que Melhor

Me Conhecem Sem Lar!


Gigante De Dagon,

Eu,

Ilana,

Ela Que Possui

A Língua Abismal Da Devassidão,

Exploradora Das Ruínas Das Mãos!


Somos Da Legião

De Sacerdotes De Dagon,

Filhos Da Religião Do Abismo

Que Se Escreve Com

Letras Formadas Pelo Sangue

Dos Bons Samaritanos!


Olhes Para A Legião

Das Legiões De Dagon,

Somos Bebedores De Sangue,

O Sangue Da Bondade

E O Sangue Da Maldade

De Todas As Humanidades!


A Legião,

Nós,

Da Legião Da Carne Abismal,

Admitimos As Oferendas

Do Nosso Eu

Ao Nosso Bem E Mal!


Nós,

Legionários De Dagon,

Abismos Em Carne,

Carne Em Abismos,

Temos As Peles Marcadas

Pelo Aço Dos Tempos Movediços!


Oramos Ao

Pai Dagon

No Silêncio Abismal,

Dagon Salvador,

Dagon Pai,

Dagon Senhor!


Oramos,

Dagon,

A Vós Que Nos Narra

Que Vos Narramos

Nestes Versos De Bardos

Dos Abismos Insanos!


Oramos,

Dagon,

Presenciando O Vosso Olhar,

O Olhar Do Abismo,

O Olhar Do Brilho Do Abismo,

O Olhar Do Lar Carnal Abismal!


Dagon Wom Mat!


Dagon Wom Mat!


Dagon Wom Mat!


Dagon Wom Mat!


Dagon Wom Mat!


Dagon Wom Mat!


Dagon Wom Mat!


Dagon Wom Mat!


Dagon Wom Mat!


Desprezo O Movimento Humano, Nada Aqui É Do Abismo, Ainda Nada Aqui É Do Abismo, E Oro Para Que Logo O Abismo Vença E Ocupe O Seu Lugar De Direito Neste Mundo De Falsos E Fracos Sacerdócios... Ilana Está Agora Ajoelhada Aos Meus Pés E A Orar Com Os Seus Lábios Envolvendo Meu Pênis Abismal... Sugados, Meus Abismos Se Enchem De Habitações A Mais... Sugados, Meus Abismos Se Sentem Sacerdócios A Mais... Sugados, Meus Abismos Oram Por Dagon... Dagon, Abrindo Os Meus Abismos... Dagon, Dagon, Abrindo-Me Como Abismo... Dagon, Dagon, Dagon, Abrindo O Abismo Que Se Revela Através Deste Abismal Modo De Narrar O Que Ele É... Dagon, Abismo, Dagon... Abismo, Dagon, Abismo... O Abismo... E Dagon... Dagon Orando... Dagon Orando E Sorrindo Como O Papa Da Carne Abismal...







Reações:

0 Lamentos Finais De Cadáveres: