terça-feira, 21 de abril de 2009

TÃO BELA, TÃO BELA, TÃO BELA!!!


Tão bela, tão bela, tão bela!!!


Tão bela és tu,

Amada cadáver em vosso túmulo,

Aí eternamente deitada,

Tão putrefata,

Tão fedorenta,

Tão ao gosto deste poeta

Que gosta de cadáveres

Que se atormentam

Com as minhocas e vermes

A comerem-lhes as carnes!


Tão bela, tão bela, tão bela!!!


Tão bela és tu,

Assassinada a punhaladas

Da cabeça aos pés,

Estuprada morta pelos

Imundos assassinos vossos,

Jogada em rio caudaloso,

Rio sujo,

Rio rijo de sangue,

Sangue derramado por todas

As assassinadas

E por todos os assassinados

A punhaladas!


Tão bela, tão bela, tão bela!!!


Tão bela és tu

Para este bardo mórbido,

Para este Coveiro

Que ainda julga possuir

A desgraça de uma maldita

Alma Eterna,

Para este louco aqui

Apunhalado todo dia,

Apunhalado toda noite,

Pelos Bandidos Das Trevas,

Seus perseguidores,

Seus obsessores,

Seus corrompedores!


Tão bela, tão bela, tão bela!!!


Tão bela és tu

E tão belo é o vosso

Agora sofrimento eterno,

Sofrimento de alma destroçada,

Sofrimento de alma desgraçada,

Sofrimento de alma maldita,

Sofrimento de alma miserável,

Belo sofrimento,

Belo tormento,

Belo sorriso dos Trevosos,

Eles se alegram

Com vosso sofrimento!


Tão bela, tão bela, tão bela!!!


Tão bela és tu,

Cadáver de infeliz apunhalada,

Cadáver de infeliz estuprada,

Minha insanidade te devora,

Minha sã consciência te admira,

Devora e admira

Assim se deteriorando no túmulo,

Um túmulo que beijo,

Um túmulo que acaricio,

Um túmulo que abraço

Limpando com o meu suor,

Limpando com o meus sangue,

Limpando com o meu vômito,

Limpando com todas as impurezas

De minha maligna

Alma De Coveiro Eterna!


Tão bela, tão bela, tão bela!!!


Tão bela és tu,

Tu a representar toda

Maldita mulher,

Miserável mulher,

Desgraçada mulher,

Pela qual eu algo senti,

Que ao lixo,

Que ao limbo,

Que ao esterco,

Lançaram-me todo,

Deixaram-me todo,

Deixaram-me morto,

Morto morto morto morto

MORTO BELÍSSIMAMENTE!!!


Tão bela, tão bela, tão bela!!!


Tão bela és tu,

Apunhalada,

Estuprada,

Cadáver,

A visão tua me agrada,

Eu me vingo com

Ódio infinito amado,

Meu ódio infinito,

Tu és todas elas,

Tu és cada uma daquelas,

Daquelas que quero apunhaladas,

Daquelas que quero estupradas,

Daquelas que odeio,

Daquelas que odeio,

DAQUELAS QUE ODEIO!!!


TÃO BELA, TÃO BELA, TÃO BELA!!!


Inominável Ser

CADÁVER COM

ÓDIO INFINITO









Reações:

0 Lamentos Finais De Cadáveres: