sexta-feira, 29 de maio de 2009

A Silenciosa Névoa que Beija A Vossa Pele, Deusa Madrugada...


Fantástico viúvo

de uma

Amada Noturna Inominável

Natimorta,

eu sou,

meus filhos foram enforcados

por Cronos

de mau-humor,

eu sou um velho eremita

muito cansado,

mas,

ainda assim,

o cajado me sustenta

e a Vossa nudez

me alimenta,

Deusa Madrugada.


Mais uma vez,

eu,

Animal Noturno,

estou como todos

os que agora estão

acordados em suas

covas

encontrando-Te

assim Nua,

Deusa Madrugada,

deixando-Se Beijar por uma

Névoa que vem de lá

onde Os Grandes Lobos

Da Loba Sagrada

subterraneamanente estão

a uivar.


Não conheço mais o sono,

nem quaro mais dormir,

pareço um zumbi,

um alucinado poeta

que vaga pelas madrugadas,

imune ao comum

da Humanidade

que sonha pequeno,

sonhando grande

em Vossos braços nus,

sentindo,

Senhora Madrugada,

que outros como eu

também assim agems

neste mundo tão cheio

de ignorâncias

e imaturidades.


Sou viúvo mesmo,

Deusa Madrugada,

sou viúvo ainda mais

por não poder ficar sempre

envolto neste silêncio

altissimamente sagrado

desta hora

altissimamente sagrada,

a Vossa Hora,

Hora na qual

O Arcanhjo Noturno

Inominável

Da Poesia Do Um

doa aos que seguem

A Inominabilidade

a vontade poética

de ser a névoa

que te Beija

a pele.


Deusa Madrugada,

um pouco de mim

está na

Inominável Névoa

que te Beija a

Sagrada Pele,

singro cada centímetro

da mesma

com o carinho e o respeito

de um dos mais

velhos eremitas

deste planeta,

são trinta e um mil

e dois anos aqui

caminhante,

são trinta e um ml

e dois anos aqui

encontrando-Te

nas horas silenciosas

que os Deuses Noturnos

Beijam

Eternamente.


Silêncios,

madrugadas,

névoas,

ah,

Senhora Que Beijo

Como

Inominável Névoa,

Amo-Te As Sombras

E Os Vultos Nascentes

Da Nudez Que Te

Embeleza

Por Todas As

Silenciosas Terras

Da Grande Noite

Eterna!


Louvada Eternamente

Tu Sejas,

Ó,

Grande Deusa

Madrugada!


Louvada!


Louvada!


Louvada!


Louvada!


Louvada!


Louvada!


Louvada!


Louvada!


Louvada!


Inominável Ser

BEIJANDO COMO

INOMINÁVEL NÉVOA

APELE DA

DEUSA MADRUGADA








Reações:

0 Lamentos Finais De Cadáveres: