terça-feira, 11 de agosto de 2009

O Livro Inominável Dos Vampiros - Canto II


Grande Porta

Para A Sangria

Das Nossas Memórias

Representa A Voz

Da Vampírica Esperança

Da Rubra Aurora:

Venham,

Noturnos Filhos

Do Sangue Das Terras

Da Criação Fértil

Nas Ocultas Obscuras

Esferas,

Dancemos Com

Os Caídos

E Roubemos

As Asas Deles,

Todas Chamuscadas

Pelo Fogo Dos

Altos Sóis,

Para Serem

As Nossas

Delicadas Camas.

Deitemos Sobre

As Asas Dos Caídos,

Joguemos Nelas

Nossas Memórias,

As Memórias

Das Dores De Outrora,

As Memórias

Das Dores De Agora,

As Memórias

Das Dores Eternas

De Eternas Dores

Imortais

A Baterem Asas...”

A Sangria Imensa

Toma Conta Da Mesa

Que Um Antigo Peregrino

De Passos Mortos

Pôs Diante Dos

Senhores Dos Imortais

Assim Dizendo:

Bebida E Comida Aqui

São Dos Ladrões

Da Vitalidade

E Da Essencialidade

Dos Mortais.

Façamos Da Imortalidade

Uma Chance De

Estarmos Diante

Da Realeza Suprema

Da Nossa Verdade.

Somos As Capas

Das Sombras Rondando

As Esferas

E Nossos Rostos

Escondem-Se Sob

Mantos Manchados

Pelo dangue

Das Eras.

Rompemos Os Laços

Com As Insanas Feras

E Acorrentamos A Besta

No Meio Da Sala Aprisionante

Da Antiga Guerra.

As Pirâmides De Urur

Agigantadas Estão

Enquanto Permanecermos

Eternamente Erguendo

As Nossas Frontes

Para O Sol Vermelho

Que Sangra Entre

Todos Os Sóis.

Um Apenas,

Um Sol Apenas,

Apresenta-Nos Aos Kosmos

Como Alimentados Por Um Sangue

Que Cai Em Raios

De Esplendor Silenciador

Do Nosso Existir.

Na Penumbra E Na Névoa,

Irmãos De Eternas Presas,

Sobrevivemos Muito Além

Dos Nascimentos

Dos Dourados Sóis

E Ancoramos

As Nossas Barcas

Nos Portos Dos Mares

De Sangue

Dos Mortais.”

Os Votos De Dor

E Os Votos De Ardor

Pelo Eterno Frio

E Pelo Eterno Calor

Em Cerimônias

Foram Dados

Por Nós,

Vampiros,

Diante Da Lembrança

Das Vozes Acima

E Da Outra Voz

Acima De Todos Nós:

Bebam,

Este É O Nosso

Sagrado Sangue,

Dado A Nós,

Em Honra

Ao Eterno Poder

Do Coração Chamejante.

Bebam,

Este É O Nosso

Sagrado Sangue,

Dado A Nós

Para A Glória

Da Restituição

Das Cinzas Nossas

Em Nossas Últimas

Imortais Horas

De Primeiras

Imortais Caminhadas.

Bebam,

O Poder Está

Na Eterna Bebida

Do Tempo!

Bebam,

O Poder Está

Na Eterna Bebida

Do Infinito!

Bebam,

O Poder Está

Na Eterna Bebida

Da Eternidade!

Bebam,

O Poder Está

Na Eterna Bebida

Da Existencialidade!

Bebam,

O Poder Está

Na Eterna Bebida

Que Oferecida Está

Entre A Primeira

E A Última Verdade!

Bebam,

O Poder Está

No Meio

Da Única Verdade

Como O Verbo

Que Se Oferece

Para A Nossa Saciedade!”

Bebemos

Tudo.

Bebemos

O

Todo.

Bebemos

O

Entorno.

Bebemos

As

Formas.

Bebemos

As

Não-Formas.

Bebemos

O

Fundo.

Bebemos

O

Nada.

Bebemos

Pouco.

E,

Assim Bebendo,

Continuamos Sobrevivendo

Como Imortais Peças

Do Cósmico Jogo.











Reações:

0 Lamentos Finais De Cadáveres: