segunda-feira, 17 de agosto de 2009

O Livro Inominável Dos Vampiros - Canto VI


Reais,

Muito Reais,

As Lágrimas

De Um

Vampiro Real...

Reais

Lágrimas

De

Vampiros Reais...

Realidade

Chora...

Realidade

A

Chorar...

Felicidade Real

Para Qual

Vampiro Real?

Nós,

Vampiros,

Viventes Entre

Vós,

Mortais,

Nas Sombras Todas

De Todos Os Locais,

Não Possuímos

A Felicidade Real,

Somos Como Vós,

Iludidos Pela Ilusão

De Uma Pretensa

Felicidade Maior...

Não Ainda Está

Na Hora Da

Felicidade Maior,

Da

Felicidade Real,

Da

Alta Felicidade,

Em Qualquer Mundo

Material

Pousar Para Ficar.

Não,

Nada,

Ainda,

A Felicidade,

A Verdadeira Felicidade,

Pode Tocar...

Lágrimas...

Imortais Lágrimas...

Sangue

E

Choro,

Nós,

Vampiros,

A Vertermos...

Sangue

E

Choro,

Nós,

Vampiros,

A Derramarmos...

Bastante

Sangue...

E Dor

Inacabável...

Bastante

Choro...

E Dor

Inabalável...

Venta Nas Terras

Da Fome Serena

E A Brutalidade

Dos Dias De

Se Torna Roedora

Das Vampíricas

Covas.

Serras E Terras

Manchadas De

Rubras Lágrimas,

As Noturnas Crianças

De Negras Asas

Filhas Da Unidade

Cósmica

Rebentando Pelos

Cantões E Clarões

Quais Chamas Procurando

Lenhas Saborosas.

Não Há Paz,

Mortais,

Para Os Que

Não Encontram

Seus Túmulos.

Não Há

Nenhum Tipo De Paz,

Ó,

Mortais,

Para Os Que

Se Arrastam

Pelos Planos Existenciais

Sempre Com Fome,

Que Eterna

Realmente É!

Noturnas Crianças,

Ouçam-Nas,

Ó,

Mortais!

Noturnas Lacrimosas

Crianças,

Ó,

Mortais!

Assim São

Os Vampiros Reais

Nas Terras Asdtrais

E Nas Terras Materiais!

Assim Está Feita

A Vampírica Realidade

Do Vampirismo Real,

Mortais!

A Eterna Fome

Arrasando

As Noturnas Crianças,

Mortais!

A Eterna Fome

E Nunca A Vinda

Do Desejado Descanso,

Mortais!

Eterna

Fome,

Eterna

Dor,

Eternas

Lágrimas,

Vampiros Reais

Choram

E

Caçam,

Caçam

WE

Sugam,

Sugam

E

Continuarão Sempre

A Quererem

Sugar Mais,

Mortais!

Sugar,

Beber,

Gotas De Sangue

Caindo Nas

Mortas Gargantas,

Ah,

Organismos Sedentos

De Sangue

E A Cor Da

Rosa Da Tristeza

Sempre Rubra

A Igualmente Chorar

Deixando Suas Pétalas

Cairem,

Mortais,

Perto Do

Oceano De Sangue

Criado Pelos

Mais Anciães

Vampiros Reais!

Vampirismo Real

É Lágrimas,

Mortais,

Lágrimas

E

Lágrimas!

Vampirismo Real

É Dor,

Mortais,

Dor

E

Dor!

Vampirismo Real,

Mortais,

Revela Que

Ser Vampiro,

Vampiro

Diante Da Eternidade

De Uma Imortalidade

Regida Pela

Eterna Fome

Que Amplia

O Morto Caminhar,

Não Significa Estar

No Topo

Da Cadeia Alimentar!

E Quem Está,

Mortais,

No Topo

De Tal Cadeia?

Quem Está

Lá No Topo

Como A Suprema

Raça Maior

Da Criação,

Mortais?

Quem Está,

Mortais?

Quem Esteve,

Mortais?

Quem Estará,

Mortais?

Quem,

Mortais?

Aumentem A Rede,

Mortais,

Ninguém Será Visto

Lá No Topo...

Procurem,

Mortais,

Nenhuma Raça

Estará Lá No Topo...

Perguntem,

Mortais,

Nada Lá No Topo...

Mortais

E

Imortais:

Todos No

Mesmo Patamar.

Mortais

E

Imortais:

Todos No

Mesmo Mar.

Mortais

E

Imortais:

Todos No

Mesmo Lar.

Mortais

E

Imortais:

Todos No

Mesmo Ar.

Mortais

E

Imortais:

Acima E Abaixo

No Mesmo Poder

De Reunir-Se

No Lacrimejante

Existir,

Resistir

E

Estar Na Criação

A Nadar,

A Caminhar

A Rastejar...

Mortais,

Vós Sois Condenados

A Serdes Mortais.

Imortais,

Vós Sois Condenados

A Serdes Imortais.

Nós,

Vampiros Reais,

Somos Condenados

A Eternos Permanecermos

No Real.








Reações:

0 Lamentos Finais De Cadáveres: