sexta-feira, 20 de novembro de 2009

O Livro Inominável Dos Vampiros - Canto X



No Riso Da Imortalidade,

A Eterna Benção,

Feroz Crença

Sob O Signo

Da Racionalidade.

No Ritmo Da Eternidade,

A Eterna Maldição,

Suave Crença

Sob O Signo

Da Irracionalidade.

Bem Querer

Seria O Tocante Querer

No Finalizar Do Carregar

De Toda Cruz

Em Todo Ser

E Em Todas

As Vias Dos Seres

No Grande Ser Vital

De Todo Ser

Mortal,

De Todo Ser

Imortal...

Amanhã Mesmo,

Ao Amanhecer Negativo

Da Chuva E Das Tempestades

Acima Das Chuvas Todas

Da Efemeridade,

O Imortal Sorriso Da Paz

Poderia Alcançar A Todos

Que São Vampiros

Como Nós...

Poderia,

Agora Mesmo,

Raiar O Sol

Da Suprema Felicidade,

A Augusta Vestimenta

Da Mais Alta Augusta

Celestial Propriedade

A Fazer De Nós,

Vampiros,

Raça Mais Maldita

Do Que Abençoada,

Seres Que Pudessem

Deitar A Sua Cruz

Ao Longo

Da Existencial Estrada

Cheia De

Fornalhas,

Cheia De

Mortalhas,

Cheia De

Migalhas,

Cheia De

Grandes Fortunas,

Cheia De

Doces Leitos,

Cheia De

Serenos Lagos...

Sonho

De Vampiro...

Vampiros

Sonhadores...

Sonhos

Dos Vampiros...

Há Mais De Um

Vampiro

A Sonhar...

Sonhos

E Vampiros...

Já Dissemos

Neste Livro

Que Somos

Sonhos

Reais,

Reais

Sonhos

E

Muito Mais

Do Que

E Em Que

E No Que

Sonha Ser

Real...

Refletimos Na Cruz

A Realidade Que Sonda

Nossas Sombras

Aqui Em Lar

Onde Seduzimos

A Luz Lunar

Que Se Oculta

Aos Vossos Olhos,

Mortais,

Saimos A Caçar

Restos De Coisas

Que A Todos Vós

Não Servis Mais...

A Sombra,

Deliciosa Sombra

Aconchegante...

A Sombra,

Angustiante Sombra

Amaldiçoante...

A Sombra,

Esperançosa Sombra

Anunciante...

A Sombra

Da Cruz,

A Cruz De Sangue,

A Cruz Do Infinito,

A Cruz Da Eternidade,

A Cruz Da Existencialidade!

Ah,

Sangue Vertido

Na Cruz Vampírica,

Quando A Longa Veste

Dos Estreitos Ramos

Das Eternas Árvores

Na Floresta Da Imortalidade

Será Rasgada?

Quando?

Quando?

Quando?

Ah,

Infinito Apresentável

Na Cruz Vampírica,

Quando A Longa Sede

Dos Sedentos Lagos

De Amigas Águas

Das Nossas Lágrimas

Será Saciada?

Quando?

Quando?

Quando?

Ah,

Eternidade Sorrindo

Na Cruz Vampírica,

Quando A Luzidia

Tocha Do Portador

Da Iluminada Chama

Do Supremo Conhecimento

Cairá Sobre Nós

Que Estamos Deitados

Sob Covas Incessantemente

Amargas?

Quando?

Quando?

Quando?

Ah,

Existencialidade Agindo

Na Cruz Vampírica,

Quando Possuiremos

A Estrela Serpentina

Da Salvadora Liberdade

Acima De Todas

As Bençãos

E De Todas

As Maldições

Dos Firmamentos

Desta Criação

Que Severa

E Serenamente

Percorremos?

Quando?

Quando?

Quando?

Quando?

Quando?

Quando?

Quando?

Quando?

Quando?

A Canção Da Cruz

Ouvida...

A Canção,

As Notas,

Os Acordes,

Concordantes

Com A Nossa

Nobre E Suja

Eterna Morte...

A Canção Da Cruz

Ouvida...

Atentamente,

Sigilosos,

Silenciosos,

Nós,

Vampiros,

Ouvimos O

Grande Gemido

Do Cancioneiro

Das Almas Malditas

Como Nós,

Um Som

Apenas,

Um Canto

De Terrível Beleza

Aos Vossos Ouvidos,

Mortais,

Apenas...

A Canção Da Cruz

Ouvida...

Violas

De Cordas

Ensanguentadas...

A Canção Da Cruz

Ouvida...

Violões

De Cordas

Ensanguentadas...

A Canção Da Cruz

Ouvida...

Harpas

De Cordas

Ensanguentadas...

A Canção Da Cruz

Ouvida...

Cantores

De Cordas Vocais

Ensanguentadas...

A Canção Da Cruz

Ouvida...

Passa A

Orquestra Vampírica

Pelos Portões Dourados

Da Realidade!

A Canção Da Cruz

Ouvida...

Nós,

Vampiros,

Olhamos Acima

Dos Portões

E Vemos,

Com As Asas Abertas

E Celestial Sorriso

Na Rubra Fronte

Iluminante,

Ao Arcanjo

Da Cruz Redentora

Da Verdadeira Vida

E

Da Verdadeira Morte!

A Canção Da Cruz

Ouvida...

Nós,

Vampiros,

Olhamos Abaixo

Dos Portões

E Vemos,

Com As Asas Abertas

E Abismal Sorriso

Na Rubra Fronte

Ensanguentada,

Ao Primeiro De Todos

Os Vampiros

A Nos Oferecer

A Visão

Da Cruz Vampírica

Entre

A Verdadeira Vida

E

A Verdadeira Morte!

A Canção Da Cruz

Ouvida...

Atendemos

Às Duas Visões,

Mortais,

Nós,

Vampiros,

Atendemos A Elas

Com O Mesmo Imortal

Vigor Abismal...

A Canção Da Cruz

Ouvida...

Não Desviamos,

Mortais,

As Nossas Vistas

Ensanguentadas,

Tanto Da Visão

Do Arcanjo

Que Nos Rege

Quanto

Do Pai

De Todos Nós,

Nós,

Vampiros,

Não Desviamos...

A Canção Da Cruz

Ouvida...

Cantamos

Odes Ao

Arcanjo

Que Nos Rege...

A Canção Da Cruz

Ouvida...

Respeitamos

A Ordem Celeste

À Qual Pertence

O Arcanjo

Que Nos Rege...

A Canção Da Cruz

Ouvida...

Amamos

A Unidade

Em Nossas

Ensanguentadas

Preces...

A Canção Da Cruz

Ouvida...

No Entanto,

Nossa Evolução

Está Abaixo

Dos Portões.

A Canção Da Cruz

Ouvida...

No Entanto,

Nossa Ascensão

Está Sob A Sombra

De Nossa Cruz

Dada Pelo

Nosso Pai.

A Canção Da Cruz

Ouvida...

No Entanto,

A Cruz Pesada Nossa

É A Augusta Aurora

Da Rosa Preferida

Entre As Nossas

Imortais Presas

Essenciais.

A Canção Da Cruz

Ouvida...

E A Canção

Da Cruz

Dentro

De

Nós...

A Canção Da Cruz

Ouvida...

E A Canção

Da Cruz

Louvando-Nos

Sem

Nós...

A Canção Da Cruz

Ouvida...

E A Canção

Da Cruz

Vigiando-Nos

Contra

A

Fuga

De

Sua

Eterna

Melodia

Suave

E

Feroz...

A Canção Da Cruz

Ouvida...

Notas

Musicais

Ensanguentadas...

A Canção Da Cruz

Ouvida...

Audições

Ensanguentadas...

A Canção Da Cruz

Ouvida...

Ídolos

Musicais

Ensanguentados...

A Canção Da Cruz

Ouvida...

O Peso

Da Nossa Cruz,

Mortais,

Equivale Ao Sangrar

De Todas As Coisas

Imortais E Mortais

Na Grande Música

Das Altas E Das Baixas

Esferas Existenciais

Da Criação

Em Todos Os

Múltiplos Acordes Musicais

Desta.

A Canção Da Cruz

Ouvida...

Elevados

E

Caídos

Sangram.

A Canção Da Cruz

Ouvida...

Por Que,

Mortais,

Os Verdadeiros Imortais

Como Nós,

Vampiros,

E Outros Mais,

Acima

E

Abaixo

Dos Portões Dourados

Da Realidade,

Não Sangrariam,

Cada Um Conforme

As Canções

Das Respectivas Cruzes

De Seus

Imortais Destinos?

A Canção Da Cruz

Ouvida...

Quem Não Carrega

Uma Cruz

Na Criação

Toda?

A Canção Da Cruz

Ouvida...

Quem Não Sangra

Na Criação

Toda?

A Canção Da Cruz

Ouvida...

Sugai Esta Verdade,

Mortais,

E Ela Vos Tornará

Verdadeiramente

Imortais.

A Canção Da Cruz

Ouvida...

Eterníssima Canção

Da

Vampírica Verdade

Diante Do Tempo

Que Nos Afina

As Imortais

Ensanguentadas

Cordas.







Reações:

0 Lamentos Finais De Cadáveres: