domingo, 14 de março de 2010

Romances Da Cova - Valorizando O Ultra-Romantismo


Inomináveis Saudações a todos vós, Coveiros!


O Romantismo, o Ultra-Romantismo... Inegável é a influência destes momentos literários importantíssimos na poesia sombria da atualidade, principalmente o Ultra-Romantismo; no entanto, o romantizar está um tanto quanto não-buscado pela maioria dos poetas e escritores que podemos classificar como underground...


Por que não romantizar mais?


Por que de lado deixar o amor das peles?


Por que de lado deixar o amor dos espíritos?


Por que abandonar o Romantismo que está em toda alma humana?


Romantizemos, Coveiros...


Romantizemos, diante de toda a atual desgraçada violência do mundo...


Pensemos no Amor!


Vivenciemos O Amor!


O Mesmo Amor Revelado Em Casimiro de Abreu!


O Mesmo Amor Revelado Em Àlvares de Azevedo!


O Mesmo Amor Revelado Em Castro Alves!


O Mesmo Amor Revelado Em Todos Os Poetas Da Criação!


O AMOR!!!


O AMOR!!!


O AMOR!!!


O AMOR!!!


O AMOR!!!


O AMOR!!!


O AMOR!!!


O AMOR!!!


O AMOR!!!


REALIZEMOS NESTA COVA O AMOR!!!




A Delicadeza De Teus Sedosos Fátuos Lábios...


Sinto vossos sagrados lábios

esperando que a luz deles sugue-me

para tua alma...


Lábios, vossos sedosos fátuos lábios,

lábios que nem Afrodite possuiu

no Tempo Dourado...


Lábios, mulher, que lábios,

sedosidade pura da maravilhosa

vestimenta da tranquilidade mais amável...


Lábios, mulher, estes vossos lábios

de esplendorosa altura digna

das guerras que travo...


Largo a espada, e me sinto

como pacífico mancebo

quando queimo-me em teus lábios...


Largo a espada, pacifico-me,

tu és uma mulher jamais tocada

pelos meus secos lábios...


Largo a espada e renasço

ao beijar-te longamente

pelas horas da chuva alada...


A paz, ah, a paz,

teus lábios molhando

a secura dos meus...


A paz, ah, a paz,

teus lábios ressuscitando

os meus...


A paz, ah, a paz,

teus lábios, meu amor

diurno inominável...


Infinitos dias de beijos,

infinitos dias d'amor,

infinitos dias sagrados...


Inominável Ser

A BEIJAR

A SUA

AMADA DIURNA

INOMINÁVEL









Reações:

0 Lamentos Finais De Cadáveres: