domingo, 19 de setembro de 2010

Amores Noturnos Inomináveis - Os Amores Convocam - Muito Angelicais Nas Trevas Da Grande Noite


Sentimos O Calor Das Esferas Não-Nascidas

Que conjuntamente se esvaem dormentes

Quando as clarezas rutilantes e mutilantes e decadentes

Das horas diurnas

Atacam todas as Essências

Das Belezas Noturnas


Sentimos O Poder Do Assobio Do Deus Cronos

Parando O Tempo E Todos Os Tempos

Para que as Molduras Sagradas Da Noite

Possam formar Aqueles Quadros

Que apenas seres como nós

Podem contemplar na Noturna Foz Dos Rios Noturnos


Sentimos O Ser De Saturno

Que Anula E Atrasa

Para Dar Sabedoria

E nos damos por tristemente felizes

Ao sermos Dele filhos tristes

Que são apenas felizes na Festa Noturna


Sentimos O Aroma Das Flores Da Deusa Hecate

Quando A Loba E O Lobo Uivam

Para A Glória Noturna Da Deusa Ceridwen

E A Grande Mãe assim chega até nós

Em Flores Noturnas delicadas

De Campos Silvestres Noturnos


Sentimos As Filhas Da Deusa Selene

Formarem As Luas Crescentes De Novas Vidas

E pulsantes na Serenidade Noturna

Cortamos os galhos antigos que nos prendem

Como árvores mortas à Terra

E percorremos juntos o Cosmos Noturno


Sentimos A Chuva Divina Noturna

Vagando Pelos Universos Noturnos

E além do Tecido Da Criação

Nos vemos como muito angelicais

Nas Trevas Da Grande Noite

Que nos torna Irmãos E Amantes Noturnos


Sentimos A Grande Noite Descer

Sentimos A Grande Noite Ascender

A Criação expande-se em nossas felizes

Almas Eternas Nas Trevas Inomináveis

Que nos acolhem em êxtase

Com honrarias de Imperadores Noturnos


Sentimos O Império Noturno

E moldamos com nosso Ser Noturno

Universos e galáxias e mundos e estrelas

Que formam nossos Corações Noturnos

No Coração Noturno

Do Ser Noturno Da Criação


Sentimos conosco Os Anjos Noturnos Inomináveis

Que nos seguem e protegem e amam e abençoam

Como Pais Noturnos E Mães Noturnas

Acolhendo Anjos Noturnos Caídos

Em Esferas Baixas Existenciais

De Baixos Brilhos Noturnos


Sentimos que somos Anjos Noturnos Caídos

E buscamos nas Trevas Inomináveis

Da Grande Noite Mãe

Da Grande Noite Pai

A Esperança Noturna Dos Caídos

Que é apenas vagar feliz unicamente

Nas Esferas Noturnas Da Criação


Sentimos que somos Anjos Noturnos Caídos

Mas A Grande Noite não vacila

A Grande Noite não nos faz vacilar

Como Irmãos E Amantes Noturnos

Voamos com a precisão infinita

De Filhos Maiores Noturnos


Sentimos que somos Anjos Noturnos Caídos

E nos achegamos aos Corações Dos Deuses Noturnos

Para buscarmos O Alívio Noturno

O Alívio Dos Caídos

O Alívio Dos Estranhos

O Alívio Dos Obscurecidos

O Alívio Dos Inomináveis


Inominável Ser

ANJO NOTURNO CAÍDO






Reações:

0 Lamentos Finais De Cadáveres: