quarta-feira, 17 de agosto de 2011

Amores Noturnos Inomináveis - Os Amores Convocam - A Filha Da Sombra E Da Chama


Meu coração encharcado de ódio,

meus olhos encharcados de ódio,

meus lábios encharcados de ódio,

meus pensamentos encharcados de ódio,

minhas mãos encharcadas de ódio,

meus pés encharcados de ódio,

meu pau encharcado de ódio,

meu cu encharcado de ódio,

eu Inominável Espírito Imortal

encharcado de ódio!


Ela toca em meu coração

com Sua Sombra,

com Sua Chama...


Ela toca em meus olhos

com Sua Sombra,

com Sua Chama...


Ela toca em meus lábios

com Sua Sombra,

com Sua Chama...


Ela toca em meus pensamentos

com Sua Sombra,

com Sua Chama...


Ela toca em minhas mãos

com Sua Sombra,

com Sua Chama...


Ela toca em meus pés

com Sua Sombra,

com Sua Chama...


Ela toca em meu pau

com Sua Sombra,

com Sua Chama...


Ela toca em meu cu

com Sua Sombra,

com Sua Chama...


Ela toca no

Inominável Espírito Imortal

Que Eu Sou

com Sua Sombra,

com Sua Chama...


Confesso,

sinceramente,

que após o Toque Dela

o ódio ainda está

em meu Inominável Ser.

Confesso,

pois,

sincero sempre devo

ser.

Porém,

Ela,

Sua Sombra,

Sua Chama,

direcionam meu ódio

para propósitos inominavelmente

determinados.

Propósitos em minhas mãos

de bardo,

bardo capaz de odiar,

bardo capaz de amar

e bardo capaz de,

simples e

sinceramente,

ser bardo,

sem limitações,

sem classificações,

sem ligações com

o humano charco.

Mestra Inominável

Da Sombra

E Da Chama,

Ela me mostra o caminho,

Meu Caminho,

que julgo ter por alguns meses

esquecido

devido a determinado rompimento

com a verdade do meu

Verdadeiro Destino.

A fúria,

minha fúria,

para minha abismal poesia.

A violência,

minha violência,

para minha abismal poesia.

A maldade,

minha maldade,

para minha abismal poesia.

O ódio,

meu ódio,

para minha abismal poesia.

Isto é um Dom,

Dom permitido pela

Divindade Creadora.

Isto é um Dom,

Dom guiado pela

Mestra Inominável

Da Sombra

E Da Chama.

Dom que cada um de vós,

a ter tanto

ou maior ódio do que eu,

possui de modo exemplar,

possui de modo particular.

Dom que necessita guiar-se

pelo criativo poder

inserido nas mãos

por um Guia divinamente

a nós dado,

Guia que seja igual a nós,

pelo menos,

no interno fervor

do ato criador.


Melhor ser poeta

do que ser assassino, estuprador,

traficante, ladrão, viciado,

policial, militar, juiz, político, padre,

rabino ou pastor evangélico,

os quais são, enfim, tudo a mesma merda

dentro de um vaso sanitário

cheio de vômito e de bosta.


Inominável Ser

POETIZANDO

NA SOMBRA

NA CHAMA

Reações:

0 Lamentos Finais De Cadáveres: