quarta-feira, 28 de setembro de 2011

Amores Noturnos Inomináveis - Os Amores Convocam - Consagradora Criatura Das Trevas De Minha Alma


Revelado em mil desertos

a posse minha acerca

dos segredos mais horrendos

dos cemitérios.


Alguém bem longe escava,

encontrando ossadas que

pertenceram a um

feiticeiro amaldiçoado.


Tenho a certeza que

tais ossos foram meus ossos,

meus ossos quando fui um

feiticeiro desgraçado.


Um que abria Abismais Portões

para Nahemah, Moloch e Ctulhu,

um que eu um dia ousei ser, um

feiticeiro miserável.


Quando assim fui em

época bem distante pérfida,

conheci uma Abismal Senhora

De Olhos Pérfidos.


Ela tinha o cheiro

das flores dos cemitérios,

Seu hálito errante emanava

o odor dos cadáveres putrefatos.


Suas negras vestimentas

traziam a Aura Da Escuridão,

sua pele tragava

todo ar em nosso redor.


Sua voz era um raio

fulminando meu coração,

seu olhar era um rio

me afogando em vis sensações.


Seus Rituais estremeciam

os solos de então,

Seus Cânticos ecoavam

no Negro Setentrião.


A Ela obedeciam

Os Antigos,

diante Dela ajoelhavam-se

Os Magos Negros.


Por Ela lutavam

Os Destemidos,

por Ela morriam

Os Draconianos.


Para Ela oravam

Os Serpentinos,

para Ela caminhavam

Os Lupinos.


Nas Noturnas Searas,

Ela vinha como

A Dançarina Errada,

sempre a tudo pisoteava.


Nas Noturnas Serras,

Ela vinha como

A Dançarina Correta,

continuava a tudo pisoteando.


Nas Noturnas Sendas,

Ela vinha como

Nenhuma Dançarina,

tudo então ficava esmagado.


Notei que um dia,

naqueles tempos de feitiços

e as mais torpes bruxarias,

Ela foi embora.


Morri queimada em cristã

fogueira de nada cristãos

homens,

fui uma vítima crucificada.


Renasci mais vezes

no caminho do Inferno,

no caminho do Abismo,

no caminho da Feitiçaria.


Renasci neste corpo

ainda um tanto feiticeiro,

ainda um tanto abismal,

ainda um tanto infernal.


E Quem chega agora?

Quem chega batando

à minha porta?

Quem será que chega?


É Ela,

A Senhora,

A Criatura,

uma amiga do meu passado.


Ela,

uma Sina,

uma Cinza,

uma Inominável.


Inominável Ser

ENFEITIÇADO

POR UMA

FEITICEIRA INOMINÁVEL

CRIATURA

Reações:

0 Lamentos Finais De Cadáveres: