sábado, 13 de abril de 2013

Amores Noturnos Inomináveis - Os Amores Convocam - Nossos Encontros


Ressoa permanente uma
angústia tremenda
nos deleites
de meu
viver mais
absurdamente
gigantesco
em prazer.

Prazer
de estar
morto para
páginas
dobradas.

Prazer
de estar
morto para
ruas
douradas.

Prazer
de estar
morto para
casas
estranhas.

Prazer
que inunda
as expressões
da minha cova
e da minha
morada
mais noturna...

E quando
Te encontro,
Noturna Dama
Etérea,
tudo vai se 
transformando...

Trans...

Forma...

Formando...

Mando...

Mando tudo
que não
é necessário
para o espaço
entre os
detritos
e os delitos!

Fico em luto
quando algumas
horas brutais
ficam a nos
distanciar!

Ergo um levante
contra 
os despertares,
é na névoa
de noturna paisagem
que venho
a encontrar-Te!

Encontrar-Te!

Encontrar-Te!

Encontrar-Te!

Encanta-me
Teu silêncio,
Teu incenso,
Teu arsênico,
Teu intento,
Teu olhar,
Teu mar,
Teu ar...

Dama...

Noturna Dama...

Dama...

Éterea Dama...

Titanide
das minhas noites!

Deusa 
dos meus arrebatamentos!

Mulher
a mim destinada!

Onde mais
encontro-Te?

Inominável Ser
NO PRAZER
DE AGUARDAR
TODO ENCONTRO
COM ELA
ETÉREA
Reações:

0 Lamentos Finais De Cadáveres: