quarta-feira, 12 de junho de 2013

Amores Noturnos Inomináveis - Os Amores Convocam - Na Estrada Dos Rutilantes Uivos E Ossos Quebrados





É um desespero útil
este que me assola,
um tremendo remendo
cheio de esgotamentos
e horas mortas.
Olho para um lado
e as hecatombes
fazem presença
diante de princesas
mortas.
Olho para outro lado
e as carnificinas
estão gigantes entre
runas de sangue
e de escarro.
Esgotado,
tendo todas as minhas
horas já mortas,
vou escrevendo
meu testamento
diante do vosso
túmulo,
Inominável Princesa
Morta.

Como um princípe
de um império fadado
a desaparecer,
vou ficando amigo
das Vossas lembranças,
minha querida morta.
Tu reinaste em
dourados tempos,
dourados terrenos,
dourados termos,
dourados templos.
Fostes Tu Aquela Que
Ergueu O Olimpo
Entre Os Impérios 
Terrestres!
Fostes Tu Aquela Que
Encantou O Primeiro Anjo
E A Primeira Serpente!
Fostes Tu Aquela Que
Arranhou O Véu
E Costurou O Novo Tecido
Daquele Antigo Presente!
Fostes Tu,
Princesa,
A Filha Do Raio,
A Filha Do Vento,
A Filha Do Fogo,
A Filha Da Tempestade,
A Filha Predileta
De Todos Os Deuses!

Mas,

queimaram os bosques

queimaram os templos

queimaram os sacerdotes

queimaram as sacerdotisas

queimaram Os Deuses

queimaram As Deusas

queimaram O Deus

queimaram A Deusa

e Tu fostes lançada
no Abismo
pelas Mãos Do Demiurgo,
junto com tudo
que dava a este mundo
A Glória,
A Alegria,
A Libertação,
A Magia Da Grande
Vida...

Agora,
Inominável Princesa
Morta,
Tu és um
espírito rebelde,
uma das
Bestas Abismais,
melancólica e fria
Harpia,
Filha Das Trevas
Invernais
E Infernais.
Teu rosto 
está cortado,
Tua garganta
está cortada,
Teus pulsos
estão cortados,
Teu corpo
está cortado.
Tu ruges,
és uma leoa
ferida,
és uma tigresa
feroz,
és uma loba
aflita,
és uma raposa
faminta.
Tua voz é
uivo,
Uivo
Odiável,
Uivo
Odioso,
Uivo
De Ódio.
E todos que
Contigo foram
lançados no
Abismo,
todos antigamente
dourados
e hoje cinzentos
acidentados
em Cinzas Eternas,
uivam
e sacodem os próprios
ossos quebradiços.

Tu fostes quase
uma Deusa
naqueles dourados
tempos,
Inominável Princesa
Morta.
Hoje,
ao lado Daqueles
que foram
Deuses e Deusas,
és apenas
um Demônio Feminil
atormentados das almas
mais pequenas
desta fossa denominada
Planeta Terra.

Inominável Ser
UIVANDO
E SACUDINDO
OS OSSOS QUEBRADIÇOS
DELE
 
 

 

Reações:

0 Lamentos Finais De Cadáveres: