quarta-feira, 14 de agosto de 2013

Amores Noturnos Inomináveis - Os Amores Convocam - A Luta E A Foda



Era noite gloriosa
de retumbâncias grotescas
e eu caminhava
na Rua Da Desgraça
com uma feroz verdade
em minhas certezas.

Denso e captando
o odor de coisas desgraçadas,
meus passos guiavam-me
em direção a um casal
de desgraçados irmãos
meus da madrugada.

Eles pararam à minha
frente,
rangeram os
dentes
e cerraram os 
desgraçados punhos.

Eu assumi a posição
de um lutador de 
Wing Chun
que eu não sou
e iniciei uma luta
sem temor e tremor.

Lutamos por horas,
A Grande Noite parou,
sozinhos,
sem testemunhas
e sem torcida,
na Rua Da Desgraça!

Lutamos e lutamos,
dando fortíssimos golpes,
levando fortíssimos golpes,
nos desgraçando 
cada vez mais
velozes e ferozes!

Lutamos e lutamos
e lutamos,
grande noturna luta,
grande noturna contenda,
por mim vencida,
derrubando aquela Inominável!

O Inominável
ao lado Dela
afastou-se,
a Noturna Porradeira
deitou-se lânguida
e sedutora...

Deitou-se na calçada,
em uma desgraçada
calçada,
mostrando-me seu corpo
todo sedoso
e saboroso...

Deitei-me ao lado
Dela,
abaixei-lhe a saia
de couro
e a calcinha
de seda negras...

A primeira estocada
naquela inominável
buceta
foi formadora
de estrondos
no Abismo...

A segunda estocada
naquela inominável
buceta
foi domadora
dos próprios
Deuses Do Abismo...

A terceira estocada
naquela inominável
buceta
foi incentivadora
de orgias infindas
no Abismo...

E as estocadas
posteriores 
naquela inominável
buceta
realizaram
Noturnos Terrores...

E a gozada
naquela inominável
buceta
fez fecundante
a certeza de minha
Noturna Realeza...

Inominável Ser
UM REI
DE UMA
INOMINÁVEL
BUCETA
Reações:

0 Lamentos Finais De Cadáveres: