domingo, 27 de outubro de 2013

Amores Noturnos Inomináveis - Os Amores Convocam - Cuidado Com Aquelas Que Trazem A Bem-Aventurança, Amem Aquelas Que Trazem A Desgraça




As bem-aventuradas
são filhas do cansaço,
do comum
e do descaso.

As desgraçadas
balançam muros,
quebram correntes
e cospem nos mundos.

As bem-aventuradas
jazem na mesmice,
jogam a favor sempre
e saem de todo desafio.

As desgraçadas
sobem morros sangrentos,
decapitam vermes nojentos
e bebem sangue de crânios.

As bem-aventuradas
escolhem a sua segurança,
recolhem a sua rebeldia
e engolem a sua soberania.

As desgraçadas
eternamente erguem
as suas danosas frontes
contra todas as cercanias.

As bem-aventuradas
sonham demais,
idealizam demais
e reclamam demais.

As desgraçadas
fazem seus impérios,
criam seus exércitos
e movem seus destinos.

As bem-aventuradas
ficam limitadas
ao sacro caminho
da fé mais divinizada.

As desgraçadas
tem Diabos e Diabas
como Divinos Conselheiros
nas Noturnas Assembléias Ocultas.

As bem-aventuradas
dobram os joelhos
diante do poderio
dos machos da Terra.

As desgraçadas
pisam em todos os machos,
estão acima destes
e os enlaçam.

As bem-aventuradas
sonham com infalíveis
amores frutíferos
e filhos amados.

As desgraçadas
casam-se de dia e de noite
com O Ódio e O Amor
Abismais Irradiados.

As bem-aventuradas
estabelecem planos
de vida e de saúde
para suas imortais almas.

As desgraçadas
são Loucas do Louco,
Jogadoras das mais insanas
do Tarot Existencial.

As bem-aventuradas
possuem vários nomes
e sempre são
as mais comuns criaturas.

As desgraçadas
não possuem nomes
e sempre são
as melhores Criaturas Moldadas.

Eu,
um Inominável Desgraçado,
prefiro
as Inomináveis Desgraçadas.

E desejo que as
Nomeáveis Bem-Aventuradas
sejam todas apagadas
como velas quebradas.

Inominável Ser
DESGRAÇADO
EM UMA ELEGIA
PARA TODA
INOMINÁVEL
DESGRAÇADA

 

quarta-feira, 2 de outubro de 2013

Amores Noturnos Inomináveis - Os Amores Convocam - Enquanto Caminhamos Nesta Estrada...




As Inomináveis são as mulheres que eu preciso; as vacas nomeadamente humanas que me trocaram por outro são as mulheres que eu mereço.


Repita comigo
os passos de cada
perdido dia,
repita comigo
os atos de cada
perdida hora.

Treine comigo
um esporte para
perdidas almas,
treine comigo
a melhor luta para
perdidos fodidos.

O cadafalso está
girando,
Inominável Caminhante
De Passos Largos,
pedindo nosso sangue,
pedindo nossas cabeças...

O estupro de nossas
antigas vidas
ainda dói,
dói tanto como
a antiga solidão
que nos desconstrói...

Por que reclamo?
Por que clamo?
Em que penso?
No que respondo?
Para que oro?
Que é Amo?

Nós temos pés?
Nós temos mãos?
Nós temos olhos?
Nós temos ouvidos?
Nós temos lábios?
Nós temos narizes?

Nesta Estrada que
percorremos
nada temos,
Inominável Eremita
Descalça,
nada tememos.

A última Black Swann,
a última humana vaca
por quem me interessei,
foi mais uma a mentir,
foi mais uma a fingir,
foi mais uma a afastar-se...

Por que cito
esta dor aqui,
aqui neste poema
sobre
A Inominável Estrada
que percorremos?

Porque,
Inominável Dama
Descarnada,
tudo está ligado,
tudo está centralizado,
tudo...

Tudo aqui na cova
é como tudo lá fora
da cova,
uma ligação que prova
a unidade da sorte
de toda esta joça.

No fundo,
nesta Estrada,
eu queria deixar
de humano ser,
simplesmente
Sendo...

Mas,
Inominável Ouvinte
deste meu lamento,
o veneno da Dualidade
é o caralho de uma arma
sempre a matar-me...

Enquanto caminhamos
nesta Estrada,
meu coração
e a minha carne,
infelizmente,
caminham por outras Estradas...

Em todas,
encontrarei outras humanas vacas,
outras Black Swanns,
que mentirão,
fingirão
e se afastarão.

Tu e as demais
Inomináveis,
meus Amores,
etéricos sonhos reais,
não mentem,
não fingem

e jamais se afastarão de mim
nesta Noturna Estrada
sem fim,

assim como Lilith.

Façam parar esta dor...

Façam...

Em nossa Estrada...

Amadas Noturnas Inomináveis...


 Lilith é A Mulher que eu preciso; as Black Swanns que fingem, mentem e depois se afastam são as mulheres que eu mereço.



Inominável Ser
INOMINÁVEL EREMITA
DE GRANDES PÉS
CANSADOS  

terça-feira, 1 de outubro de 2013

Amores Noturnos Inomináveis - Os Amores Convocam - Segures Minhas Mãos, Inominável Sofredora Irmã




Segures minhas mãos,
estamos balançando
sentados frente a frente
no Barco Temporal,
vendo A Passagem,
venerando A Paisagem
e tocando A Roupagem.

Segures minhas mãos,
estamos garantindo
a nossa segurança
diante da chegada
do Julgamento Final,
quando a Espada De Lúcifer
e a Espada De Mikael
forem novamente Uma
ao final.

Segures minhas mãos,
estamos sabotando
os imaginários mundos
dos crentes em todas
as enganações 
deste mundo,
crentes Filhos Maiores 
Da Deusa Enganação,
A Mãe De Todas As
Humanas Crenças
Aprisionantes.

Segures minhas mãos,
estamos saltando
como Lobos Da Escurdão
por sobre todos os
Rios Da Solidão,
cativando Nossa Mãe
Escuridão,
acariciando Nossa Segunda Mãe
Solidão
e experimentando a docilidade
do Noturno Frescor
Da União.

Segures minhas mãos,
estamos cativando
O Urso Adormecido
Dentro Da Grande Caverna
Do Cósmico Panteão,
encontrando em cada
pêlo Dele
um Livro Do Sim
e um Livro Do Não.

Segures minhas mãos,
estamos cantando
A Canção Da Corda
Quebrada,
plantando sementes
de Árvores Mágicas
no Reino Das Noturnas
Fadas
e usando cordas quebradas,
dadas pela Inominável
Senhora Cantora E Violeira
Da Corda Quebrada,
para enforcarmos
as lembranças
de nossos momentos
trágicos
repletos de
lambanças.

Segures minhas mãos,
estamos namorando
A Cósmica Imagem
Da Unidade,
Imagem Refletida
Nas Trevas,
Imagem Refletida
Na Escuridão,
Imagem Refletida
No Abismo,
Imagem Refletida
Na Grande Noite,
Nossa Terceira Mãe
e Senhora Dos Nossos
Inomináveis Corações.

Segures minhas mãos,
estamos ouvindo
O Inominável Desconhecido,
ah,
O Inominável,
Nossa Mãe Maior,
Nosso Pai Maior,
A Chave,
A Porta
E O Recinto
no qual nossas dores
e sofrimentos passados
desaparecem,
desvanecem
e desviam-se
para O Limbo
Astral...

Segures minhas mãos,
estamos em nossa
querida Morada,
Inominável Morada,
Inominável Pousada
e Inominável Fauna.

Inominável Ser
SEGURANDO
NAS MÃOS DELA
E NAS DE TODAS
AS INOMINÁVEIS 
SOFREDORAS