sexta-feira, 23 de maio de 2014

.........



Entrego assim meu nome
a um enredo
sem nenhum fim
diante das calamidades
da Humanidade,
Desgraçada
Decadente
Humanidade.
Um arrepio percorre
cada milímetro
d'alma minha
quando a entrega
é realizada
diante do Negro Portal
Cósmico,
Portal
Maior
Eterno.
A entrega segue
sem riscos,
estou na medida
do impossível,
acompanhada por minha
Sibilante Mãe,
Sibilante
Brilhante
Matriarca.
Entrego-me a Ela,
também,
junto com meu nome,
diante da
Primordial Face
Dela,
Face
Que
Primeiro
Sibilou
Na
Criação.
Abandono tudo que
é humano,
deixo tudo que é
o Lixo Humano,
arroto e vomito
toda Humana Comida
Que È Ser
Um Humano Lixo
Moldado,
Lixo
Nascendo
Todo Dia.
Abandono e fico
ao colo
de Lilith,
Lilith
Rica
Absolutíssima.
Humano Lixo,
abandone seu
Eu,
abandone seu
Outro,
abandone seu
Ter,
Venha
Junto
Comigo
Entregar
O
Seu
Nome
À
Primeira
De
Todos
Os
Imortais.
Humano Lixo,
Lilith quer
pôr-te ao colo,
Colo
Afável
De
Primordial
Mãe.
Humano Lixo,
Lilith quer te Fazer,
como a mim
Fez,
Imortal
Ente
Eterno
Livre
Do
Divino
Castigo
Da
Divina
Mentira
De
Um
Deus
Único.

Inominável Ser
AO COLO
DA ÚNICA
QUE É
A SERPENTE


quinta-feira, 15 de maio de 2014

Um Cadáver Que Observo Ao Longo Dos Dias


Ossos pisoteando
o solo
que tem barro,
lama
ou asfalto.

Ossos arrastando-se
pelas labaredas
das fogueiras
dos heróis
e vilões terrestres.

Ossos quebrando-se
ao longo dos dias
que passaram,
que passam
e que passarão.

Que ossos!

Muitos ossos!

Multidões de ossos!

E eu vejo todos,
todos os ossos,
passeando com
o requinte 
e o luxo
de glórias que vão
para o nada!

Que ossos
são esses
que tanto vejo
mesmo sem 
querer?

Que visões
de ossos
são essas
que teimam
em me atormentar?

Que tormento
ósseo
de atrozes visões
são essas em meu
Ser?

São visões diárias.

São visão frequentes.

São visões instigantes.

São visões intrigantes.

São visões arrebatadoras.

São visões...

Visões...

As visões
de todos os ossos
dos cadáveres
que me rodeiam,
os quais atendem
por muitos nomes
e possuem posses
de muitos outros 
nomes.

Cadáveres como você,
ossuda leitora.

Cadáveres como você,
ossudo leitor.

Cadáveres como eu,
toda vez que
olho para a minha
ossuda imagem
no espelho
de minha cova...

Inominável Ser
UM OSSUDO
VISUALIZADOR
DA DEUSA MORTE