segunda-feira, 21 de setembro de 2015

Ericto Em Um Trono De Névoas, Corpos E Almas



Dispersando para longe
As Leis Eternas,
Sufocando cruelmente
Idílios de inocentes,
Ericto ainda reina
Como Senhora Necrófila
Dos Braços Abismais
Em um Reino onde
Nove Círculos
Emolduram infindos
Territórios
Em cuja entrada
Toda esperança deve ser
Abandonada.

De longe chegam 
Os que ela amontoa
Em seu Trono,
Névoas chorando, 
Névoas gritando,
Névoas gemendo,
Névoas urrando,
Névoas abortando,
Névoas esfaqueando,
Névoas esquartejando,
Névoas enforcando,
Névoas estuprando,
Névoas odiando
A Grande Feiticeira.

De longe ainda
Ela amontoa os corpos
Sobre os quais repousa,
Corpos de guerreiros,
Corpos de bardos,
Corpos de músicos,
Corpos de dançarinos,
Corpos de políticos,
Corpos de assassinos,
Corpos de ladrões,
Corpos de filósofos,
Corpos que ela venera
Com seu orgulho sórdido.

De longe,
Muito mais longe ainda,
Chegam as inúmeras AAlmas
Dos que ela sacrificou
Em prol de suas 
Nefastas feitiçarias,
Almas aborrecidas,
Almas abrutalhadas,
Almas abarrotadas,
Almas arrombadas,
Almas roubadas,
Almas perturbadas,
Almas atribuladas,
Almas que com tirania
Escraviza.

Os Carregadores De Névoas,
Os Obscuros Dos Corpos
E Os Bestiais Das Almas
Saúdam Sua Senhora,
A Horrenda Feiticeira,
Comedora de
Humanas carnes,
Amante de
Cadáveres,
Violadora de
Tumbas,
Sugadora implacável
De todo sangue
Derramado por onde
Caminha.

Ericto Sanguínea,
Ericto Sangrenta,
Ericto Sanguinária,
Ceifadora insaciável
De multidões,
Em seu Trono
A observar
Os futuros tolos
Que serão um dia
Objetos de sua
Necrofilia
E Canibalismo.

Em Terras que ainda existem,
Terras cobertas
Pelas Trevas Eternas,
A Terrível Estrige
Expande suas garras
E dentes
Sobre fracos
E poderosos.

Ericto,
A Impiedosa.

Ericto,
A Aniquiladora.

Ericto,
A Destruidora.

Ericto,
Uma Soberana Infernal.

Inominável Ser
EM UMA
FEITIÇARIA
INFERNAL

Reações:

0 Lamentos Finais De Cadáveres: