quinta-feira, 3 de dezembro de 2015

A Todo Ausente Nesta Porra De Planeta



Enquanto muitos enchem
O olho do cu
Com involutivas asneiras
E se preocupam com
A porra do Neymar
E a porra
Da Bola de Ouro
Que essa porra
Pode ou não ganhar,
Cinco são mortos
Pela porra da Polícia,
Uma é estuprada
Por sete porras
Que se dizem homens,
Doce rio
Vai morrendo
Por causa da porra
Do Homem,
A lama vai se alastrando
Ainda por causa
Da Grande Porra
Que é
O Homem,
Grande Porra
Falida,
Grande Porra
Fracassada,
Grande Porra
Fodida,
Grande Porra
Maldita,
Grande Porra
Miserável,
Grande Porra
Desgraçada!

Onde você está
Enquanto uma criança
Morre de fome
Nas más condições
Da porra das ruas
Por onde você caminha,
Sua porra?

Onde você está
Enquanto até mesmo
A Natureza,
Por causa da Grande Porra
Desta Humanidade
À qual pertencemos,
Vai agonizando
Em um estado terminal
Cada vez visível?

Onde você está
Quando os mais
Obscuros crimes
E as maiores
Tragédias mundiais
Ocorrem na porra
Deste mundo
Que se esfacela,
Esfarela
E Enfarta
A cada milionésimos
De segundos?

Ah,
Você está preocupado
Com a porra do Neymar
Ou a porra da novela
Ou a porra do filme
Ou a porra da balada
Ou a porra da cerveja
Ou a porra da maconha
Ou a porra da foda
Que poderá gerar
Mais uma porra
Como você!

Palmas para você,
Seu porra,
Sua porra!

Parabéns,
Seu porra,
Sua porra!

Ave,
Porras!

Talvez você
Marque presença aqui
Nessa porra de mundo
Se eu lhe meter
Um machado
No meio da testa?

Inominável Ser
SEMPRE
AQUI
PRESENTE
NESTA PORRA
DE COVA
QUE É
A TERRA
Reações:

0 Lamentos Finais De Cadáveres: