sexta-feira, 25 de dezembro de 2015

MARCHA MARCHA MARCHA ASSIM MESMO, Ó, HUMANIDADE!!!



Vejam como marchamos,
Arrotando pelos cantos
E gritando pelo olho do cu
A nossa arrogância,
MARCHA
MARCHA
MARCHA
ASSIM MESMO,
Ó,
HUMANIDADE!!!

Vejam ali,
Uma menina sendo estuprada,
Um menino sendo estuprado,
Mas fechamos os olhos
E comemoramos Natais,
Anos-novos
E Carnavais,
MARCHA
MARCHA
MARCHA
ASSIM MESMO,
Ó,
HUMANIDADE!!!

Vejam,
Vejam bem mesmo,
Milhares passando fome
Seja na rua do Rio
Ou em ruas sangrentas
Da Síria
Ou nas áridas terras
D’África,
Vejam a nós mesmos
Comendo tudo que é
Possível
E negando até mesmo
A um mendigo
Um prato de comida
Ou um copo de água,
MARCHA
MARCHA
MARCHA
ASSIM MESMO,
Ó,
HUMANIDADE!!!

Vejam agora
O que paira
Sobre nós,
São as negras vestes
Da Desgraça,
Da Miséria
E da Maldição
Contemporâneas
A nos manchar
Com chuvas ácidas
A caírem vigorosamente
Assassinas,
MARCHA
MARCHA
MARCHA
ASSIM MESMO,
Ó,
HUMANIDADE!!!

Vejam agora
O sorriso aberto
Daqueles que querem
Toda nossa maior queda,
Ali mesmo há
Algum a manipular
O assassino,
O policial,
O juiz,
O médico,
O estudante,
O político,
O fanático,
O crente,
O idealista,
O machista,
A feminista,
Tudo,
Todos,
MARCHA
MARCHA
MARCHA
MARCHA
MARCHA
MARCHA
MARCHA
MARCHA
MARCHA
ASSIM MESMO,
Ó,
HUMANIDADE!!!

MARCHA
PARA TUA
DERROTA!!!

MARCHA
PARA TUA
QUEDA!!!

MARCHA
PARA TUA
COVA!!!

MARCHA
PARA TEU
ABISMO!!!

MARCHA
PARA TEU
INFERNO!!!

MARCHA
MARCHA
MARCHA
MARCHA
MARCHA
MARCHA
MARCHA
MARCHA
MARCHA
ASSIM MESMO,
Ó,
HUMANIDADE!!!

Inominável Ser
A MARCHAR
CONTRA
ESTA
HUMANIDADE


Reações:

0 Lamentos Finais De Cadáveres: