domingo, 31 de janeiro de 2016

A Destruição E A Dor



Lá fora,
lá no mundo dos homens
e das mulheres manchados
com o sangue de um
imundo cordeirinho escroto
há dois mil anos fodido,
existe apenas A Destruição,
existe apenas A Dor
e eu ouço as lamúrias
dos Destruídos
e eu vejo as feridas
dos Dolorosos…
Ouço lamúrias
que as Fossas
fazem ranger
como os dentes
do Grande Monstro
Aprisionado.
Vejo feridas
que os Esquartejadores
abrem nos Errantes
que não encontram
a prometida paz
descrita nos lábios
dos Luminosos.
Ouço os gritos
dos novos Prometeus
Acorrentados às suas
montanhas de lixo
tecnologicamente avançado.
Vejo as predições
de Novas Pandoras
abrindo Novas Caixas
cada vez mais a espalharem
Desgraças,
Maldições
e Misérias.
Ouço Magos Negros
recitando sinistras preces
e sussurrando aos seus
Adeptos donos das mentes
e corações de bilhões
as instruções para as
construções de novas
formas de Prisões.
Vejo a imensa massa
de fezes nos ares
sendo lançada em todas
as direçoes
conforme o aumento das
nojentas asquerosas paixões
dos cus das bucetas
das bocas das tetas
das picas dos olhos
da esfarrapada humana
massa de vermes esmagados
cada vez mais
por si mesmos.
De onde estou,
posso sentir também
o cheiro da deterioração
de toda esta fodida
espécie de fodidos
que se considera a primeira
e a única Raça da Criação.
De onde estou,
posso ver também
o rastejar dos ossos
de cada contemporâneo
desgraçado meu tilintar
a cada escroto passo
em direção ao satisfazer
de seus nadas.
Onde estou é aqui,
em meio a este bárbaro
reduto de mentiras
e indústrias de mentiras
a serviço do Desgraçado
Homem,
o atual Ser que rasteja
neste mundo cuja merda
fede por toda
a Criação.
Tudo está ruindo,
tudo está roído,
tudo está caído,
tudo está destruído,
tudo está dolorido…
Mas,
olha que caralho de
curiosidade,
veja a interminável fila
que daqui vejo
para as compras de
ingressos para os filmes
dos Enganadores
de Enganados
e Escravizadores
de Escravos
e Pastores
do Gado…
A Deusa Destruição
apenas observa,
Sorrindo…
A Deusa Dor
apenas observa,
Gargalhando…
Interminável fila
dos Destruídos.
Interminável fila
dos Doloridos.
Todos fodidos,
os quais eu gostaria
de pessoalmente acordar
com um machado bem
no meio da porra
da testa
e múltiplas facadas
nos três fodidoss
olhos.

Inominável Ser
UM
DESTRUÍDO
UM
DOLORIDO
INOMINÁVEL
POETA




sábado, 30 de janeiro de 2016

A Grande Noite E A Morte




A Grande Noite
É O Sonho Ideal,
A Morte
É O Sonho Real.


A Grande Noite
Empunha O Archote,
A Morte
Empunha O Açoite.


A Grande Noite
É O Punhal,
A Morte
É A Foice.


A Grande Noite
Encara O Obscuro,
A Morte
Encara A Verdade.


A Grande Noite
É A Treva Eterna,
A Morte
É A Luz Eterna.


A Grande Noite
Canta Suas Glórias,
A Morte
Canta Suas Eternidades.


A Grande Noite
É A Barca,
A Morte
É O Abismo.


A Grande Noite
Abre Os Véus,
A Morte
Abre As Visões.


A Grande Noite
É Deusa Suprema,
A Morte
É Deusa Negada.


A Grande Noite
Encanta Mundos,
A Morte
Encanta Poucos.


A Grande Noite
É O Portal,
A Morte
É A Passarela.


A Grande Noite
Encontra A Tudo,
A Morte
Encontra A Todos.


A Grande Noite
É A Nyx Eterna,
A Morte
É A Tanatos Terna.


A Grande Noite
E A Morte,
A Morte
E A Grande Noite.


A Grande Noite
Na Morte,
A Morte
Na Grande Noite.


A Grande Noite
É A Morte,
A Morte
É A Grande Noite.


Inominável Ser
DA GRANDE NOITE
DA MORTE



quinta-feira, 28 de janeiro de 2016

Bocas E Caralhos E Trevas




Bocas
E
Caralhos
E
Trevas


Bocas
Como infindáveis
Buracos suculentos
Sugadores.
Caralhos
Como abordáveis
Instrumentos
Derradeiros.
As Trevas como
Silenciosas testemunhas
Deste enredo.


Bocas
E
Caralhos
E
Trevas…


Bocas
Semelhantes a harpias
Em busca da satisfação
Com esperma
E um pouco de sangue.
Caralhos
Semelhantes a doces
Endurecidos
E possantes nas forças
De suas ações.
As Trevas
Semelhantes a templos
Que louvam as delícias
Mais proibidas das madrugadas
Como gratas odes
Aos Íncubos
E às Súcubos.


Bocas
E
Caralhos
E
Trevas…


Bocas
Gigantes famintas
Pela insaciável presença
Em shows proporcionados
Pelas suas inatas
Habilidades.
Caralhos
Gigantes dotados
De uma sentença
Das mais firmes
Dada por cada veia
E músculo inflados
De sangue.
As Trevas
Oferecendo aos mais
Tenebrosos amantes
Nos Véus de Lilith
E Priapo
A mesa de refeições
Repleta de pratos
Irresistíveis.


Bocas
E
Caralhos
E
Trevas…


Bocas
Que se fecham
Em caralhos.
Caralhos
Fechados por
Bocas.
As Trevas
Envolvendo
Bocas
E
Caralhos.


Bocas
E
Caralhos
E
Trevas…


Bocas
Amadas por
Caralhos.
Caralhos
Amados por
Bocas.
As Trevas
Amando
Bocas
E
Caralhos.


Bocas
E
Caralhos
E
Trevas…


Bocas
E
Caralhos
Bocas
E
Caralhos
Bocas
E
Caralhos
Bocas
E
Caralhos
Bocas
E bocas
E bocas
Caralhos
E caralhos
E caralhos…


Bocas
E
Caralhos
E
Trevas…


As Trevas
E suas Legiões
No Tantrismo
Mais raro
E depravado.


Bocas
E
Caralhos
E
Trevas…


Inominável Ser
COM UM
CARALHO
DESEJANDO MUITO
UMA BOCA




sábado, 23 de janeiro de 2016

Um Demônio



O aço abençoado com sangue,
O frio da morte correndo
Pelo asfalto das ruas,
Cabeças decapitadas falando
Os nomes dos decapitadores,
Balas perfurando corações
E falando de toda sorte
De sangrenta abominação…

Você aí pode sentir
O doce odor de um cadáver
Em si mesmo,
Em seus consortes,
Em seus filhos,
Em seus amigos,
Em seus vizinhos,
Em tudo,
Em todos,
O plano é deteriorar,
O recinto está fedendo…

Um Demônio pinta a cara
Com as vísceras de uma
Criança degolada…
Um Demônio arranca o coração
De um mendigo apedrejado
Até a morte…
Um Demônio suga a
Massa cerebral
De um índio morto
A chutes na cabeça…
Um Demônio suga o sangue
Dos mortes em crimes
De brutal violência…
Um Demônio saboreia
A dor de um torturado
Em uma cadeia…
Um Demônio ri
Da dor de uma estuprada
Em uma mata…
Um Demônio se alimenta
Do viciado em heroína,
Cocaína,
Álcool,
Cigarro
E outras desgraçadas drogas…
Um Demônio…
Um Demônio…
Um Demônio…

Para cada crime,
Um Demônio.
Para cada vício,
Um Demônio.
Para cada inspiração
Em um crime,
Um Demônio.
Para cada incentivo
Em um vício,
Um Demônio.
Nas esquinas sangrando,
Um Demônio.
Nas matas sangrando,
Um Demônio.
Nos bairros sangrando,
Um Demônio.
Nos bares sangrando,
Um Demônio.
Sangrando,
Um Demônio.
Sangrando,
Um Demônio.
Sangrando,
Um Demônio.

Um Demônio para cada
Ser humano,
Este que influencia
Todo Demônio.
Somos uma raça perversa
E perdida,
Humanos,
Uma raça de idólatras,
De bêbados,
De drogados,
De alienados,
De estúpidos,
De assassinos,
De ladrões,
De monstros,
De traiçoeiros,
De crucificadores,
De linchadores,
De estupradores,
De suicidas,
De Verdadeiros
Demônios!

Os Demônios
Do Abismo Infernal
Aprendem mais conosco
Do que nós com Eles.
Este é um fato,
Demônio.
Este é um relato,
Demônio.
Esta é uma afirmação,
Demônio.
Esta é A Verdade,
Demônio.

Inominável Ser
UM
DEMÔNIO