domingo, 21 de fevereiro de 2016

A Sombra, A Sopa E O Sopro



Seu nome,
Maldito desgraçado nome,
Escorre entre as minhas pernas
Conforme meu gozo transborda
Apenas ao som de sua
Cruel voz…

Quem é você,
Noturna Puta?

O que é você,
Noturna Vadia?

O que foi você,
Noturna Vagaba
Imunda?

Deuses estão empalados
Aos seus pés,
Demônios beijam
Os seus pés,
Devassos forem
Aos seus pés!

Sangue brota onde
Você pisa,
Sarças apodrecidas crescem onde
Você pisa,
Sopros de mortes onde
Você pisa!

Suas palavras são
Pura hipocrisia,
Seus beijos são
Pura frieza,
Seus abraços são
Puro desprezo!

Os Lobos te
Veneram,
Os Leões te
Saúdam,
As Serpentes te
Desejam!

Iago Ben Henoc
Abre-lhe os Portões
Do Abismo!

Marie Padie
Dança junto ao Fogo
Contigo!

A Coveira E Atiradora
Pede-lhe balas para
As armas dela!

Lilith
E Naamah
Sentam-te à direita
Delas!

Quem é você,
Infeliz que me
Atormenta?

Quem é você,
Desgraçada que me
Seduz?

Quem é você,
Amada Noturna Inominável
Que não consigo esquecer?

“Sou
A Sombra,
A Sopa
E O Sopro
Regendo
O Eterno Agosto
Do Enterro
Em Todas As Covas
Universais.”

Você me respondeu,
Agora deixe que,
Em sua homenagem,
Eu me masturbe
E goze sangue,
Agora,
Aos seus pés!

Inominável Ser
AOS PÉS
DELA
EM UMA POÇA
DE SANGUE



Reações:

1 Lamentos Finais De Cadáveres:

Arthur Claro disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.