sexta-feira, 26 de fevereiro de 2016

As Poéticas Trevas Nós Somos



A descida ao mundo
dos nossos mortos
está garantida.
Ouça essa voz estranha
que nos chama,
façamos a caminhada
em direção à fogueira
dentro do Vale
Dos Crânios…

As visitas se foram,
as belezas esgotaram-se,
o azul do céu
e a luz solar
estão mortos
em nossos caminhos.

As coisas belas
se tornaram ruínas,
lábios puros
não temos
e nem mesmos
os lábios impuros
podemos beijar.

Não temos amigos
do lado de cá
da Corrente,
nem os temos
do lado de lá
da Serpente.

Não temos famílias
e abortamos nossos
malditos filhos
ao raiar do primeiro dia
do último ano
de nossas vidas.

Não descansamos
em sedosos leitosos,
não sorrimos
para as humanas
tolices,
não andamos
lado a lado
com os imbecis
humanos.

Estamos sozinhos,
estamos sangrando,
estamos pedindo ajuda
a este poeta
que nos atende
com sua pena…

Estamos morrendo
múltiplas mortes,
revivendo outras mortes
e engolindo nossas
agonias retorcidas
a cada virada
de esquina…

Estamos loucos,
estamos feridos,
estamos sangrando
e escondendo
o nosso sangue
derramado…

Pedimos socorro,
mas quase ninguém
nos ouve…

Pedimos socorro
e apenas este poeta
na cova dele
nos dá voz…

Pedimos socorro,
por favor,
acendam velas por nós
diante de rios de esgoto,
poças de lama,
casas abandonadas,
lixões,
qualquer lugar
longe de templos
que nunca nos recebem!

Nós somos Eternos,
Os Eternos Viajantes
Melancólicos,
em uma peregrinação
em busca de ajuda
para que possamos
deixar de caminhar
sobre o maldito
Planeta Terra…

Obrigado,
Inominável Ser,
por nos ouvir.

Muito obrigado,
Inominável Ser,
por nos ouvir,
receber
e ajudar.

As Trevas oram
em poesias
por você.

As Poéticas Trevas
Nós Somos.

Inominável Ser
UM DOS
INTÉRPRETES
DOS INSPIRADORES
DE TODO
POEMA SOMBRIO





Reações:

0 Lamentos Finais De Cadáveres: