quinta-feira, 11 de fevereiro de 2016

Comemoremos Sempre As Nossas Cinzas!


Comemoremos sempre
As nossas cinzas
Em um Maldito Carnaval
Que nos aproxima
Da verdade de nossa
Decadente imagem
Como uma Humanidade!

Rojões acesos
Para nossa
Decadente Humanidade!

Comemoremos sempre
As nossas cinzas
Seguindo o assobiar
Da Maldita Hora
Eterna
Guiada pelo Olhar
Do Guardião Solitário!

Tamborins tocados
Para nossa
Decadente Humanidade!

Comemoremos sempre
As nossas cinzas
Erguendo nossos esqueletos
De nossas camas
De agulhas
Que nos perfuram
N’alma!

Surdos tocados
Para nossa
Decadente Humanidade!

Comemoremos sempre
As nossas cinzas
Com a alegria
Que nunca jaz
Em qualquer recanto
Vazia!

Pratos tocados
Para nossa
Decadente Humanidade!

Comemoremos sempre
As nossas cinzas
Adotando a oração
De incentivo
Ao crescimento
Do invisível cemitério
Onde permanecemos
Nos túmulos certos!

Tambores tocados
Para nossa
Decadente Humanidade!

Comemoremos sempre
As nossas cinzas
Arrastando nossos
Decadentes corpos
Pelas decadentes ruas
Da Terra
Que cada vez mais
Apodrece
E agoniza!

Intérpretes cantando
Para nossa
Decadente Humanidade!

Comemoremos sempre
As nossas cinzas
Atuando na peça
Mais vasta
Em termos de rendas
Para a
Desgraça Contemporânea!

O samba-enredo
Para nossa
Decadente Humanidade!

Comemoremos sempre
As nossas cinzas
Multiplicando cada
Podridão dos nossos
Avanços em direção
Ao abismal recanto
Que nós mesmos criamos
Em nossas almas!

Carnaval
Para nossa
Decadente Humanidade!

Comemoremos sempre
As nossas cinzas!

Para nossa
Decadente Humanidade!

E QUE
O ESTANDARTE
DE LATÃO
DA NOSSA
REALIDADE
SEJA AMPLAMENTE
EXIBIDO
NAS ENTRADAS
DE NOSSAS
MORADAS
NOS CEMITÉRIOS!!!

COMEMOREMOS!!!

COMEMOREMOS!!!

COMEMOREMOS!!!

COMEMOREMOS!!!

COMEMOREMOS!!!

COMEMOREMOS!!!

COMEMOREMOS!!!

COMEMOREMOS!!!

COMEMOREMOS!!!

Inominável Ser
COMEMORANDO


Reações:

0 Lamentos Finais De Cadáveres: