segunda-feira, 8 de fevereiro de 2016

Nesta Hora Onde Transbordam As Verdades



É hora de aquecer a alma
com pensamentos próprios
de um apegado ao centro
de si mesmo,
centro de angústia,
centro de desapego,
centro de deslocamento
em um excelente senso
de afastamento dos loucos
que agora se refastelam
em uma folia de porcos…

É hora de pesar
a humana miséria
das cidades
e suas populações
culpadas pela Crucificação
da Verdadeira Humanidade.

O quê?
Para você ainda somos
Verdadeiros?
Para você ainda somos
os soberanos
de nós mesmos?
Para você ainda somos
inquestionavelmente
senhores de nossos destinos?

Voltando à folia de porcos,
pense um pouco comigo:
muitos agora mesmo
bebem até preencherem
toda a alma de uma
embriaguez cada vez mais
permanente;
muitos agora mesmo
se drogam,
dopando as já frágeis
mentes;
muitos agora mesmo
estão fodendo,
competindo no jogo
da desvalorização
dos próprios corpos;
muitos agora mesmo
pulam,
dançam,
cantam,
brigam,
oferecendo-se a Momo
como prontos para
o abate…

E você ainda acha
que temos condições
de sermos
inquestionavelmente
senhores de nossos destinos?

Ainda acha
que somos soberanos
de nós mesmos?

Ainda acha
que somos
verdadeiros?

Poderíamos,
nesta hora mesmo,
estarmos juntos
com os porcos pulantes,
beberrões,
drogados,
fodedores,
briguentos…
Poderíamos,
mas estamos aqui
nesta Cova
a estes versos
lendo…
Porém,
somos tão humanos
e decadentes
como eles,
sendo a única diferença
que nos afasta deles
é que já estamos
cansados da
Decadência
desta Desgraça
Contemporânea.

E,
também,
cansados desta
Porca Humanidade.

Inominável Ser
EM UMA HORA
DE ENCONTROS
COM INTEIRAS
VERDADES





Reações:

0 Lamentos Finais De Cadáveres: