domingo, 3 de abril de 2016

A Serpente, A Leoa E A Loba - Canto IV



Algo no Lago
Começou a
Uivar…
Algo escondido
No Lago
Começou a
Uivar...
Uivo De Poder
No Solo Noturno...
Uivo De Poder
Nos Selos Noturnos...
Uivo De Poder
Na Poderosa Fruta
Que Cresce Na Árvore
Do Ar...
Hecate pisou no solo
E Seu pisar em meu solo
Fez O Lago Noturno
Ainda mais
Uivar.
Hecate apontou-me
Seu Punhal,
Meu coração 
Acelerou
Em batidas que
Uivavam,
Minha Alma
Brilhou
Em alvoradas que
Uivavam.
O Machado Da Serpente
Uivou,
A Espada Da Leoa
Uivou,
As montanhas distantes
Uivaram,
Os vales distantes
Uivaram,
A Montanha Dos Mundos
Uivou,
O Vale Dos Mundos
Uivou.
Hecate estendeu
Acima de mim
O braço esquerdo Dela
E com o Punhal
O pulso cortou,
Fazendo jorrar em mim
Seu Sangue De Mãe
De Negro Noturno
Uivo De Amor.
Nos Mares Do Sangue
De Hecate
Fui uivante nadador,
Cada braçada
Aos Mundos Subterrâneos
Além do Mundo Subterrâneo
Me guiou!
Cada braço
Nos Oceanos Do Sangue
De Hecate
Ao Subterrâneo Da Criação
Me guiou!
Fui uma uivante criança
A nadar,
Revestida pelo
Tapete Noturno,
Sete Uivantes Estrelas
Do Lobo Oculto Cósmico
Me indicaram
A Rota a seguir
Sem me desviar!
Fui um uivante idoso,
Idoso em cada um dos meus
Trinta e um mil e dois
Anos de idade
Até agora
E nos meus
Trinta e um mil e dois
Anos
Que ainda terei
Neste aeon
Do Humano Viver!
Sou aquela
Uivante Criança
Nos Braços De Hecate!
Sou aquele
Uivante Idoso
Nos Braços De Hecate!
Do Sangue De Hecate
Me amamento
E os meus 
Brinquedos de guerra
São os meus
Eternos Armamentos!
Do Sangue De Hecate
Colho o meu cajado
E ouço
O Uivo Do Eremita
Ao meu lado
E sou
Lupino Eremita
Ao lado da Loba
Que me tranquiliza
Pelo enfado
E pelo tédio
De caminhar
Pelos humanos dias
E pelas humanas noites!
Meu Manto
E minha Lâmpada
São Vestes Do Lago,
Dos Lagos Interiores
Dos Mundos Da Loba,
Arrasto-me para
A Sabedoria Noturna
Guerreando encoberto
E lanço-me na
Alcatéia Dos Lupinos
Sábios Guerreiros
Da Noturna Floresta!
Devoro os restos mortais
Dos meus inimigos,
O Sangue Da Loba
Me torna
Selvagem Vencedor
Ante todo
Selvagem Vencido
Que derrubei,
Que derrubo,
Que fui!
Eu uivo agora
Como uivei naquela
Serpentina Leonina Lupina
Madrugada
Quando o Sangue De Hecate,
O Sangue Da Minha
Lupina Mãe Hecate,
Caiu sobre mim,
Banhando-me
A coroa,
Banhando-me
A pétala,
Banhando-me
Em todos os meus
Internos Instrumentos
De Guerra,
Banhando
O Leão Adormecido
Em mim,
Banhando
A Serpente Adormecida
Em mim,
Banhando
O Lobo Adormecido
Em mim!
O Leão
Despertou,
A Espada De Babalon
Me ergueu!
A Serpente
Despertou,
O Machado De Lilith
Me ergueu!
O Lobo
Despertou,
O Punhal De Hecate,
Posto em minha
Mão esquerda
Pela própria Loba,
Me ergueu!
Ergui-me
Diante
Da Serpente!
Ergui-me 
Diante 
Da Leoa!
Ergui-me
Diante
Da Loba!
Serpente
Diante
Da Serpente!
Leão
Diante
Da Leoa!
Lobo
Diante
Da Loba!
Sibilei,
Rugi,
Uivei!
Sibilei,
Rugi,
Uivei!
Sibilei,
Rugi,
Uivei!
Trino Filho,
Trino Príncipe,
Trino Rei,
Trino Imperador,
Dos Domínios Delas,
Me tornei,
Me tornei,
Me tornei!



Reações:

0 Lamentos Finais De Cadáveres: