domingo, 19 de junho de 2016

A Bowl Made From A Human Skull - Lord Byron - Tradução: Lady Death


Autoria Desconhecida 


Not recues! Me was-if not the spirit ...
In me you will see - poor cold skull -
Single skull, instead of living,
Only pours joy.
I lived! loved! which you drank: In death
Tore the earth my bones.
Do not insult me! rears me! ... the larva
Has darker than your kisses.

Better save the juice of the vine
Than the floor of the worm be vile pasture;
- Cup - lead of the Gods to drink,
The pasture reptile.

This vessel, where the spirit shone,
Go in the other the spirit light.
Ouch! When a skull no longer has brain
... Can you fill the wine!

Drink while inda is time! Another race,
When you and your ye in the ditches,
Can deliver you the embrace of the earth,
And drunk Rejoicing desecrate your bones.

And why not? If in the course of life
So much evil, so much pain al rests?
It's good fleeing to rot on the side
Serving in the death last p'ra something! ...



Autoria Desconhecida 


Não recues! De mim não foi-se o espírito…
Em mim verás – pobre caveira fria -
Único crânio que, ao invés dos vivos,
Só derrama alegria.

Vivi! amei! bebi qual tu: Na morte
Arrancaram da terra os ossos meus.
Não me insultes! empina-me!… que a larva
Tem beijos mais sombrios do que os teus.

Mais vale guardar o sumo da parreira
Do que ao verme do chão ser pasto vil;
- Taça – levar dos Deuses a bebida,
Que o pasto do réptil.

Que este vaso, onde o espírito brilhava,
Vá nos outros o espírito acender.
Ai! Quando um crânio já não tem mais cérebro
…Podeis de vinho o encher!

Bebe, enquanto inda é tempo! Uma outra raça,
Quando tu e os teus fordes nos fossos,
Pode do abraço te livrar da terra,
E ébria folgando profanar teus ossos.

E por que não? Se no correr da vida
Tanto mal, tanta dor ai repousa?
É bom fugindo à podridão do lado
Servir na morte enfim p’ra alguma coisa!…





Reações:

0 Lamentos Finais De Cadáveres: