quinta-feira, 2 de junho de 2016

Em Crom, Eu Encontro...


Conan, The Destroyer - Phroilan Gardner 


Em Crom,
Eu encontro...

Em Crom,
Eu encontro a paz
De um Pai
Ao qual recorro
Pedindo a benção da Vida
Para meus amigos
E o abraço da Morte
Para meus inimigos.

Em Crom,
Eu encontro...

Em Crom,
Eu encontro as alegrias
Que me fazem continuar
Encarando Demônios
E feitiçarias,
Enterrando monstros
E tiranos sedentos
Pelo meu sangue.

Em Crom,
Eu encontro...

Em Crom,
Eu encontro mais calor
Do que o calor dos braços
De prostitutas deliciosas
E rainhas de voz poderosa,
Virgens suntuosas
E rubras bárbaras rancorosas,
As mulheres que aquecem 
apenas meu corpo.

Em Crom,
Eu encontro...

Em Crom,
Eu encontro uma família,
A família de todos aqueles que,
Como eu,
Nasceram da espada,
Viveram da espada,
Envelheceram na espada
E morreram da espada.

Em Crom,
Eu encontro...

Em Crom,
Eu encontro meu Destino,
Meu definitivo repouso,
Um dia,
Quando meus ossos estiverem
Em estado de pó
E os bardos estiverem a cantar
Sobre meus feitos de outrora.

Em Crom,
Eu encontro...

Em Crom,
Eu encontro toda a visão
Do meu futuro no Outro Mundo,
Um futuro onde descansarei
De toda minha marcha,
Um Mundo onde terei em meus braços
A minha inesquecível amada
Valéria.

Em Crom,
Eu encontro...

Em Crom,
Eu encontro tudo,
A harmonia de minha alma
Cansada de tantas batalhas, 
A tranquilidade de meus pensamentos
Aqui neste mundo sempre atordoados, 
A segurança de um lar fixo
Que aqui neste mundo me é negado.

Em Crom,
Eu encontro...

Em Crom,
Eu encontro,
Encontro um caminho
De esperanças em meu porvir,
Um oceano de presentes
Que Ele
 Há de me dar
Em Seu Lar.

Em Crom,
Eu encontro...

Inominável Ser
CONAN
O BARDO






Reações:

0 Lamentos Finais De Cadáveres: