quarta-feira, 15 de junho de 2016

Sem Crenças No Caminho Sem Mãos


Autoria Desconhecida 


Seu Senhor
Não é meu pastor
E nem o seu Satan
Me salvará,
Pois estou deitado
Em cravos pontiagudos
E piso em vidro
Envenenado
A cada passo
Que dou
Nesta Terrestre Estrada
Miserável.

Por que eu
Oraria
A um Deus
Ausente?

Por que eu
Adoraria
A um Adversário
Impotente?

Somente Ódio
Tenho neste meu
Maldito coração,
O Ódio é
A minha Salvação,
O Ódio é
O meu baluarte
E sustentação
Nestes sombrios dias
Na Vala Terrestre.

Cuspo nas crenças, 
Vomito nos ideiais,
Cago nas esperanças,
Apenas A Desgraça
Governa este mundo,
Apenas A Desgraça
É A Mãe
Deste mundo!

Vejam sangue
Escorrendo por todos
Os lados,
Nós somos os culpados
Pela Desgraça Contemporânea,
Nós,
Os Desgraçados arrogantes
Que somos
Desde que inventamos
A bala
E as palavras!

Minhas mãos
Estão cortadas,
Tateio na
Escuridão,
Sigo em frente
Na Travessia
Do Deserto
Vendo tudo ruir
Desgraçadamente 
Em meu redor!

E vocês,
Desgraçados humanos,
Se importam
Apenas com
Iphones,
Fodas,
Carros,
Novelas,
Fofocas,
Internet,
Todas as coisas
Mais fúteis
E insanas
Deste desgraçado
Planeta desgraçado?

Não reclamem depois
De nada 
Após
O Obscuro Machado
Daqueles que um dia
Retornarão
A este mundo
Rachar vossas
Desgraçadas frontes
Ao meio.

Riam,
Divirtam-se
E sejam felizes
Bastante,
Desgraçados humanos!

Este desgraçado humano
Aqui,
Sem nenhuma mão,
Estará bem longe
Quando Os Antigos
Aqui estiverem
Saciando A Fome
Deles.

Boa sorte,
Desgraçados!

Inominável Ser
TENDO
CAUSAS EM COMUM
COM OS VERDADEIROS
GOVERNANTES
DESTE MUNDO




Reações:

0 Lamentos Finais De Cadáveres: