terça-feira, 12 de julho de 2016

Corpus Sanctum Dolor


Inner Dark XIII Station - Saturno Buttò


Demonstra-me o néctar
da dor,
aos sacrifícios da pele
cante a dor,
meu dono,
minha dona,
meu amor...

Mostra-me com verdade
o teu amor,
sou submisso,
sou submissa,
sou homem,
sou mulher,
faça-me teu escravo,
faça-me tua escrava,
caralho!

Foda,
muito foda,
bem foda,
tudo isso,
me dá prazer,
mais prazer,
amarra forte,
amarra e bate,
espanca-me,
com a doçura
que me aquece!

Mereço mais,
faça-me mais dolorido,
faça-me mais dolorida,
lembre-se que eu sou
o que tu quiser,
meu corpo é teu altar
no qual uma reza
ao prazer de machucar
teus lábios e mãos
e instrumentos de bençãos
que me fazem gemer
pode entoada ser!

Vejas minha pica
como buceta,
veja minha buceta
como pica,
imagines que eu sou
o homem na mulher,
a mulher no homem,
fantasia,
porra,
fantasia!

Humilha-me,
desgraçadamente
humilha-me,
despe-me de todas
as hipócritas merdas
que vivo,
cospe em meu senso
de equilíbrio,
me desequilibra,
vai,
me desequilibra,
bate,
corta,
aperta,
rasga,
chuta,
soca!

Humilhação máxima,
me derruba,
faz do corpo que está
sob teu domínio
o povoamento de uma
foda bem fodida,
lambe-me,
lambe-me todo,
lambe-me toda,
meu cu pede
um cabo de vassoura,
minha buceta pede
uma língua boa!

As cordas,
me machucando,
quero mais fortes,
amarra,
suspende-me,
me tira da linha toda,
me dá o suor
da tua pele
caindo sobre a minha
pele castigada!

Tudo,
tudo,
tudo para me fazer
gemer,
tudo para me fazer
gritar,
prepara para mim
a sessão mais prolongada,
ah,
quero que me machuques
com mais gosto,
por mais tempo,
por dias,
por noites,
por horas,
por anos,
por séculos,
por milênios,
pela Eternidade!

Tritura-me,
tritura-me,
faça-me ouvir o estalar
de meus ossos,
faça-me sentir
os cortes de minha
pele,
impiedosamente
arrasa-me!

Tortura-me,
tortura-me,
não cries o tédio
enquanto me alucina
nestes prazeres espancadores
do meu existir,
da minha carne,
eu insisto
que sejas o pior carrasco,
senhor meu,
senhora minha,
dono meu,
dona minha!

Explora-me,
vai penetrando,
vai dedando,
molhado está
meu cu,
molhada está
minha buceta,
molhados estão
meus seios,
molhada está
minha boca,
molha mais,
molha-me com
meu sangue,
tira-me
sangue,
tira-me
sangue,
tira-me
sangue!

Usa tudo,
loucamente,
dá-me a prova
que tu me amas,
eu rastejo aos vossos
humilhadores pés,
eu lambo os vossos
humilhadores pés,
eu beijo as vossas
humilhadoras mãos,
sou teu,
sou tua,
um cachorro submisso,
uma cadela submissa!

Gozo,
gozo,
estou a gozar,
ai
ai
ai,
gozo,
eu gozo,
puta merda,
como gozo
assim
com todo o teu amor
por mim,
o amor de um dono
para com seu cão,
o amor de um dono
para com sua cadela!

Me põe no chão,
me sufoca,
me enche da paixão
nas cordas,
nas correntes,
nos chicotes,
nas tuas mãos,
nos teus pés,
eu gosto da submissão,
sou submisso
de coração,
sou submissa
de coração,
carrasco,
carrasca,
que me dá a mais terna
flor da dor
em ação,
quero mais dor,
quero mais dor,
quero mais dor,
quero mais dor,
mais
mais
mais
mais
mais
mais
dor
dor
dor
dor
dor
dor
dor
dor
dor
dor
dor
dor
dor
dor
dor
dor
dor
dor
dor
dor
dor
dor
dor
dor
dor
dor

dor
!!!!!!!!!!!!!!!!!

Aperte...

Bate...

Rasgue...

Chute...

Corte...

Sufoque...

Espanque...

Forte...

Selvagem...

Humilhante...

ah...

ah...

ah...

ai...

ai...

ai...

hmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmm......................

Inominável Ser
HOMO
SANCTUS
DOLOR





Reações:

0 Lamentos Finais De Cadáveres: