sábado, 2 de julho de 2016

O Homem Verde A Sangrar E A Cantar


Memorial In Black: Peter Steele - Mike Norse


A Canção
Se Faz Amiga
De Uma Nação
Bem Mais Antiga
Do Que Toda
Noção
De Vida


A Escuridão
Aquece Cada Um
Que Busca Abrigo
Em Suas Vestes
De Amada Mãe
E Verdadeira
Amante


Os Beijos
Das Trevas
Jazem Nos Rostos
Dos Imortais
Que Se Banham
À Luz
Do Sol Negro


As Dádivas
Do Abismo
Alcançam As
Eternas Almas
Daqueles Que Seguem
As Marés
Da Lua Negra


O Primeiro
Que Sangra
Dá As Mãos
Aos Últimos
Que Sangrarão
No Cósmico
Panteão


O Segundo
Que Sangra
Dá Os Pés
Aos Primeiros
Que Sangraram
No Anti-Cósmico
Panteão


O Terceiro
Que Sangra
Traz Até Mim
Um Que Sangra
E Canta Em Todos
Os Existentes
Panteões


Um Que Sangra
Cantando
Sobre Druidesas
Que Podem Ser
Saboreadas
Nos Festins
Infernais


Um Que Sangra
Cantando
Sobre Vestidos
Que Deusas Abismais
Vestem
No Abissal
Jantar


Um Que Sangra
Cantando
Sobre Beijos
De Sangue
Compartilhados
Pelo Umbral
Das Eras


Um Homem Verde
Que Sangra
Na Maior Melodia
Que Sua
Eterna Voz
Profundamente
Pode Entoar


Um Homem Verde
Que Sangra
Na Mestra Melodia
Que Sua
Eterna Voz
Nas Profundezas
Está A Entoar


Um Homem Verde
Que Sangra
Na Magna Melodia
Que Sua
Eterna Voz
Em Profundidade
Eternamente Entoará.


O Homem Verde
A Sangrar
E A Cantar
E A Imortal
Enviar
Sua Voz
Por Todo Lar


O Homem Verde
A Sangrar
E A Cantar
E A Imortal
Moldar
Sua Voz
Como Seu Lar


O Homem Verde
A Sangrar
E A Cantar
E A Imortal
Permanecer
Com Sua Voz
Naquele Lar


O Lar
Onde Imortais
Como Ele
Sangram
Cantam
Sangram
Cantam
Sangram
Cantam
Sangram
Cantam
Sangram
Cantam
Sangram
Cantam
Sangram
Cantam
Sangram
Cantam
Sangram
Cantam


Sendo Ouvidos
Por Todos Os
Imortais
E Alguns Mortais
Que Sabem
Sangrar
E Cantar

Em Conjunto
Com A
Eternidade

Em Uníssono
Com A 
Eternidade 

Nas Tribos
Da 
Eternidade 

Nos Trilhos
Da 
Eternidade

No Trigo 
Semeado E Colhido
Pela Eternidade


Inominável Ser
SANGRANDO
CANTANDO
POETIZANDO





Reações:

0 Lamentos Finais De Cadáveres: