quarta-feira, 13 de julho de 2016

Silenciosos Dançarinos Da Deusa Solidão



Somente todo silencioso
momento
pode traduzir a angústia
de todos os gritos
de minha alma.

Somente quem sabe
ouvir os gritos d’alma
no silêncio do
mundo exterior
vai me entender.

Somente quem faz
de sua solidão
uma santíssima religião
da linguagem do coração
vai me entender.

Somente quem renasce
eternamente
dentro de sua existencial
solidão
vai me entender.

Por que?

Por que?

Por que?

Por que?

Porque os homens
e as mulheres
dos urros das multidões
não sabem ouvir
as próprias almas.

Porque a massa
sempre procura o barulho
que externamente evoca
perturbadora incompreensão
da interna marcha.

Porque o gado
caminha alvoroçado
para o certeiro abate
no meio de toda humana
densa infertilidade.

Porque o mundo exterior
atrai mais o olhar
perscrutador
do que o mundo interior
esquecido com furor…

Os cães latem,
meia-noite e sete,
querida acompanhante,
que tal ouvirmos juntos
os gritos de nossas almas?

Juntos
e sozinhos,
querida acompanhante
nas Trevas
Das Ruas?

Juntos
e sozinhos,
querida acompanhante
nos Labirintos
Noturnos?

Juntos
e sozinhos,
querida acompanhante
no Umbral
Das Eras?

Juntos
e sozinhos,
distantes dos devoradores
de si mesmos
e das próprias almas…

Juntos
e sozinhos,
como um casal de gatos
silenciosamente esgueirando-se
sobre ardentes telhados…

Juntos
e sozinhos,
iluminados pelo luar
e seguidos pelo uivo
dos nossos irmãos lupinos…

Juntos
e sozinhos,
sonoramente também
acompanhados pelo
piar das corujas…

Juntos
e sozinhos,
pequeníssimos diante
da Odisséia Cósmica
Maior…

Juntos
e sozinhos,
pequeníssimos diante
da Maré Anti-Cósmica
Única…

Juntos
e sozinhos,
à beira e descendo
e na infinda profundidade
de Daath…

Juntos
e sozinhos,
no Palco
onde Dançamos
descalços…

A Dança
Da Universal
Solidão.

A Dança
Da Necessária
Solidão.

A Dança
Da Infinita
Solidão.

Nossa silenciosa
Dança,
entre as Noturnas
Florestas
Solitárias…

Nossa silenciosa
Dança,
entre as Noturnas
Sendas
Solitárias…

Nossa silenciosa
Dança,
entre as Noturnas
Estradas
Solitárias…

Inominável Ser
UM
SILENCIOSO
DANÇARINO
DA DEUSA
SOLIDÃO 




Reações:

0 Lamentos Finais De Cadáveres: