terça-feira, 30 de agosto de 2016

.........


Aless Piccolo - Saturno Buttò

Vejo o Caminho
Infernal
Bem diante dos meus
Olhos perfurados
Pela brisa doente
Dos tempos errados.
Arranco meus pulmões
E passo,
Então,
A respirar o viciado ar
Que advém
Da Fossa.
Um ar que fala
Palavras antigas pérfidas
Perdidas nos Reinos
Das Trevas.
Um ar que marcha
Ao redor de tudo
Que a História esconde
Entre os escombros
Das reminiscências
De massacres
E crimes vários
Cometidos por esta
Porca Humanidade.
Um ar que mutila
Toda minha alma
E as almas daqueles
Que junto comigo
Atravessam O Deserto
Comendo da ardente
Areia
E bebendo da venenosa
Água
Dos cactos em chamas
Do mesmo.
E O Terror
Toma forma,
O Terror que assombra
O dia,
O Terror que assombra
A noite.
Os Terrores Noturnos
Tenho nos bolsos
De minha velha calça
Jeans
Desbotada.
Os Terrores Diurnos
Carrego na gravidade
De minha cara fechada
Sem risos,
Sem gargalhadas
E sem tolos momentos
De qualquer sincera
Pura harmonia
Com o que chamam
De felicidade.
E eu mesmo sou
Um terrorista armado
Com amargura,
Tristeza,
Ódio,
Revolta,
Rebeldia,
Solidão
E melancolia…
Meus dias são
Pesados
E longos.
Minhas noites são
Penosas
E curtas.
Não há saída,
A porta do Desespero
É uma corrida tranquila
Em direção ao orifício
De cada Abismo
Dentro de mim.
E é dentro de mim
Que consigo encontrar
Uma paz
E uma harmonia
Que jamais encontrarei
No externo mundo
Medíocre,
Insano,
Decadente,
Apodrecido,
Esgotado
E escroto
Da Desgraça
Contemporânea
Que você aí,
Talvez,
Deva amar.
Eu só sei dançar,
De infindas maiores,
Neste desgraçado
Humano mar.

Inominável Ser
UM INOMINÁVEL
APRENDIZ DE
DANÇAS
INFÉRTEIS




quarta-feira, 24 de agosto de 2016

A Inescapável Força


A Inescapável Força
Me obriga a desejos
Abundantes e aprofundantes
Na cova que há
A cada poro
De meu cadavérico
Corpo.

Queria poder escapar,
Apelar para algum
Anjo Noturno
A fim de me ajudar
A escapar
Daquela Inescapável
Força…

Mas,
Um Grande Demônio
Dominante de toda carne
Me arrasta para dentro,
Cada vez mais,
Daquela Inescapável
Força!

E até os que
São vistos como
Anjos Noturnos
Me instigam a participar
Da Corrente
Daquela Inescapável
Força…

E eu gosto
E eu gozo
Dessa Corrente
Da Inescapável Força
Que me arrasta
Para a forca
Da carnal
Intemperança.

E eu gosto
E eu gozo
Dessa Atitude
Da Inescapável Força
Que age em mim,
Que age em você
E que age em todos
Desta Terra,
De outras Terras,
Por todo este
Lado
E do
Outro Lado.

E eu gosto
E eu gozo
Da Amplitude
Da Inescapável Força
Sagrada No
Alto,
No Baixo,
No Mais Alto
E No
Mais Baixo.

Inescapável Força
Que,
No meu inominável
Caso,
Me orienta para
As feminis curvas
De feiticeiras
Demoníacas
Que povoam
Minha libido
E sonhos mais
Devassos
A toda hora,
Todos os dias,
Todas as noites…

Inescapável Força
Que molda
Meu gosto
Pela boca de uma
Feiticeira-Mulher!

Inescapável Força
Que molda
Meu fetiche
Pelas tetas de um
Demônio-Mulher!

Inescapável Força
Que molda
Meu anseio
Pela buceta de uma
Serpente-Mulher!

Inescapável Força
Que molda
Meu apreço
Pelo rabo de uma
Leoa-Mulher!

Inescapável Força
Que molda
Minha obsessão
Pelo cu de uma
Loba-Mulher!

Inescapável Força
Que molda
Minha fascinação
Pelas pernas de uma
Pantera-Mulher!

Inescapável Força
Que molda
Minha perversão
Pelos pés de uma
Deusa-Mulher!

Inescapável Força
Que molda
Minha atração
Pelas mãos de uma
Criadora-Mulher!

Inescapável Força
Que molda
Minha adoração
Aos olhos de uma
Maga-Mulher!

Inescapável Força
Que molda
Minha escravidão
Pela
Beleza Feminina!

Escravidão adorável
Cujas correntes
Jamais quererei
Arrebentar…

Inominável Ser
INESCAPÁVEL
ESCRAVO
DA FEMINILIDADE




terça-feira, 23 de agosto de 2016

Por Toda Esta Madrugada


Moths - Lenore Scarecrow


Por toda esta madrugada
me enfeitice
de um único modo,
modo este
que me faça
desgarrar
do humano solo,
solo este
que vosso hexagrama
reequilibre
na exatidão das Formas
das Densas
Trevas.

Por toda esta madrugada
me doutrine
com os
Arcanos Secretos
do Livro Inominável
Do Abismo,
Este que é
O Livro
Dos Inomináveis
Habitantes
Do Abismo,
Este que é
nosso Verdadeiro
Mundo.

Por toda esta madrugada
me encare,
olhe para mim
como
A Mulher Escarlate,
olhe para mim
como
A Serpente Eterna,
olhe para mim
como
A Dama Lunar,
olhe para mim
como
A Sereia Estelar,
olhe para mim
como
Estrige Solar,
olhe para mim
como
Vampira Universal,
olhe para mim
como
Deusa Inominável.

Por toda esta madrugada
me embale,
cante para mim
canções
de dor
e de morte,
recite para mim
poemas
de sangue
e de desgraças,
narre para mim
contos
de estupros
e assassinatos,
toque para mim
guitarras
evocando Demônios
e Sádicos,
pinte para mim
quadros
de horror
e de decadência.

Por toda esta madrugada
me conduza
pelo
Labirinto Invisível,
me jogue
no
Poço Impossível,
me oriente
no
Vale Dos Poetas
Perdidos,
me abandone
na
Grande Encruzilhada,
me encontre
no
Coração Das Eras.

Por toda esta madrugada
me mostre
todo este
Lado,
me afogue
do Outro Lado,
me adote
em teu útero
e me leve
até
A Escuridão
Que Ainda Há
Antes
De Tudo.

Por toda esta madrugada,
sim,
sem paradas,
sem amarras,
sem piedade,
sem pensar,
sem me poupar!

Por toda esta madrugada,
sim,
correndo,
caminhando,
saltando,
nadando,
parando,
voando!

Por toda esta madrugada,
sim,
entre cacos,
entre cactos,
entre ratos,
entre bagos,
entre boatos,
entre atos!

Por toda esta madrugada,
Inominável Cicerone
Das Inomináveis
Viagens,
de mãos dadas
nos
Portões Infernais,
de mãos atadas
nos
Fossos Abissais,
de mãos feridas
nos
Mundos Abismais,
de mãos cortadas
no
Outro Lado,
de mãos amputadas
no
Caminho Sem Mãos!

Por toda esta madrugada,
Inominável Irmã Maior!

Por toda esta madrugada,
Inominável Guia Maior!

Por toda esta madrugada,
Inominável Amada Maior!

POR TODA ESTA MADRUGADA!!!

POR TODA ESTA MADRUGADA!!!

POR TODA ESTA MADRUGADA!!!

POR TODA ESTA MADRUGADA!!!

POR TODA ESTA MADRUGADA!!!

POR TODA ESTA MADRUGADA!!!

POR TODA ESTA MADRUGADA!!!

POR TODA ESTA MADRUGADA!!!

POR TODA ESTA MADRUGADA!!!

POR TODAS AS MADRUGADAS!!!

POR TODAS AS MADRUGADAS!!!

POR TODAS AS MADRUGADAS!!!

Inominável Ser
DE TODAS
AS MADRUGADAS