domingo, 7 de agosto de 2016

Busque A Beleza Do Meu Sussurrante Silêncio


Lilith Under The Huluppu Tree - Mani Price


Não Povoe Sua Alma
Com As Migalhas
Que Te Oferecem,
Nem Me Provoquem
Com As Lamentações
Mais Atrozes
De Vossas Vestes.

Saibam Assassinar
Por Si Mesmos
A Multidão
Muito Gritante
Da Desordem
Dos Vossos
Pensamentos.

Saibam Singrar
O Vivo Mar
De Venenosas Águas
Da Vossa Realidade
E Encantem
O Outro Lado
Ao Encararem-No
Com Seroentinos
Olhos.

Silenciosos Olhos
Como Os Meus,
Os Olhos
Da Fazedora
De Órfãos
De Deuses,
Os Olhos
Da Coruja
Sempre Desperta,
Os Olhos
Da Serpente
Sempre Tentadora…

Porque
Eu Venho
Para Trazer
O Silêncio
De Minha
Eterna Negação
Da Criação!

Porque
Eu Vou
Seguramente
Empunhando
O Silencioso Machado
Que Me Dá
Eternas Vitórias
No Barco De Sangue
A Meu Dispor!

Porque
Eu Repito
Meu Nome
Eternamente
Dentro Do Coração
Do Silencioso
Furor:

LILITU

LILITU

LILITU

LILITH

LILITH

LILITH

LILAKE

LILAKE

LILAKE

LIL

LIL

LIL

Repito
Silenciosa
Desejando
A Vossa
Destruição!

Repito
Silenciosa
Chamando
A Vossa
Reconstrução!

Repito
Silenciosa
Convocando
Os Meus
Filhos!

Venham,
Corujas!

Venham,
Serpentes!

Venham,
Eu Vos Chamo
Para O Nosso
Banquete
No Silêncio
Dos Corpos
A Nós Oferecidos
No Gritante Deserto
Dos Malditos
Seres Humanos
Que Odiamos!

Silencie-Se
E Pie
Como Uma Coruja,
Desgraçado
Mortal!

Silencie-Se
E Sibile
Como Uma Serpente,
Miserável
Mortal!

Assim,
Eu Chego Perto
De Ti,
Te Mordendo
A Cada Silêncio
Do Meu Beijo
Em Vosso Coração
E Do Meu Mijo
Em Vossa Boca
E Do Meu Sangue
Em Vossa Coroa!

Inominável Ser
LILITH
REVELADA




Reações:

0 Lamentos Finais De Cadáveres: