segunda-feira, 19 de setembro de 2016

The Cry Of Silence - Draconian


Draconian Desktop Wallpaper - Koshkun



Letra: Anders Jacobsson

Filled with sorrow...
Bleak inner self touched by pride,
devoured by solitude, still wrapped in time.
I'm flowing with pain!

Holding myself back in suspicion...
and lingering in the dust...
the dust of my abandoned remains.
Killed with the dagger of life...!

Such an exquisite pride in my suffering...
alone, all alone with the emotional
streams of my soul...
So real, so pure... yet I'm left aside
entangled in fear... without hope.

I am truly left alone,
but somehow... just somehow
it feels like my loneliness is a victory
over the self-delusion of joy... and happiness.

My heart beats faster,
the anguish becomes clearer
and my misanthropic view gets stronger.
Living in the shadows...
so proud of being the one,
but desperate...
so desperate for a helping hand.
Do I really want to live this life?

I have a thousand reasons to die,
and many millions of tears to cry... in silence.
The human plague has emptied my life,
and I curse the day I was born... to this world!

Still, no-one else I ever want to be...
and no-one else I intend to be...
'cause no-one else I was meant to be!

I need, I want, I long for my retribution...
I need, I want, I yearn for my retribution...
I want my retribution... I want it now!

Unity; a gathering of open wounds,
of dark... of dark clean spirits...
what a dream... what a dream so distant!
Why should I... why should I be alone
when I love... when I love my brotherhood?
Shall I die... shall I die to be free
when I cry... when I cry in silence...
so please let me die in silence...
oh my god, let me die in silence!








Preenchido com dor...
Interior sombrio tocado pelo orgulho,
Devorado pela solidão, ainda preso no tempo.
Eu estou fluindo dor...

Prendendo a mim mesmo numa suspeita passada...
e morrendo aos poucos na poeira...
a poeira de minhas lembranças abandonadas.
Morto pela adaga da vida...!

Que orgulho esquisito em meu sofrimento...
Sozinho, completamente sozinho com os
rios de emoções de minha alma...
tão real, tão puro... porém deixado de lado.
Emaranhado em medo... sem esperança.

Extorquido pela luz do mundo...
Desprezado, deixado para trás e deprimido...

Eu fui verdadeiramente abandonado sozinho,
Mas de alguma maneira... de alguma maneira
isso me faz sentir que minha solidão é uma vitória
sobre a minha própria desilusão de alegria... e felicidade.

Meu coração bate rápido,
a angústia torna-se clara
e minha visão misantrópica fica mais forte.
Vivendo nas sombras...
tão orgulhoso de ser o único,
mas desesperado...
tão desesperado por uma mão amiga.
Eu quero realmente viver esta vida?

Eu tenho mil razões para morrer,
e milhões de lágrimas para chorar... em silêncio.
A praga humana tem esvaziado minha vida,
e eu amaldiçoo o dia que eu nasci... para este mundo!

Ainda assim, ninguém além de mim sempre quer ser...
e ninguém além de mim pretende ser...
Porque ninguém além de mim quis ser!

Eu preciso, eu quero, eu quero minha retribuição...
Eu preciso, eu quero, eu anseio por minha retribuição...
Eu quero minha retribuição... eu a quero agora!

União; uma reunião de feridas abertas,
de escuridão... de espíritos limpos escuros...
Que sonho... que sonho tão distante!
Por que eu devo... por que eu devo ficar sozinho
quando eu amo... quando eu amo minha irmandade?
Devo morrer... devo morrer para ser livre?
Quando eu choro... quando eu choro em silêncio...
Então, por favor, deixe-me morrer em silêncio...
Oh, meu Deus, deixe-me morrer em silêncio!










Reações:

0 Lamentos Finais De Cadáveres: