quinta-feira, 13 de outubro de 2016

O Labirinto Invisível - Neil Gaiman - Tradução: Érico Assis


Zatara - John Bolton


Fale ao contrário
Porque o tempo não corre ao contrário
Porque caminharei até ter resposta
O grafite ao contrário na parede invisível
Porque estou me adiantando…
Observe meu pó.


O medo é do desconhecido.
Matamos o que não entendemos.
Veja:
Fale ao contrário
Anime um sonho
Veja:
Fale ao contrário
O glamour esconde o medo


A vontade de ir em frente, necessidade ardente.


(Observe meu pó, minha filha,
observe meu pó.)


Preciso de mais que ilusão,
Fazemos com espelhos,
E coelhos
Atanores
E pombos…


Achei que havia encontrado meu caminho
Até o centro do Labirinto Invisível
Mas havia — quem sabe — descoberto nada
Mais do que a entrada.


Observe meu pó.


Quando surge a Magia, quando as luzes se acendem,
Quando visto minha cartola
E meu casaco de muitos bolsos
Quando falo ao contrário…


Então soube que avançava no Labirinto.


E uma vez tendo superado o engano
Superado os outros
Superado “O Grande”, “O Fantástico”, “O Mestre da Ilusão”
Superado todos
Assim que viram meu pó,
Descobri


O vazio
O ponto oco no centro do Labirinto


Sem retorno
Sem caminho de volta


Nem mesmo falando ao contrário
Nem mesmo fazendo o caminho ao contrário


Recuei à segurança,
Ao mundo da ilusão,
Ao palco,
À ribalta,
Todos os olhos sobre mim e ninguém vê.


Porque eu não falo ao contrário
Porque eu não digo


(Etion Meriv Satelobrob)


E a noite não vira borboletas.


Nada de mim dou ao público,
Tanto quanto dou aos espelhos
E fios
E truques
A desilusão da ilusão e a mão que
Engana o olho…


Minha vida é estrobo como o raio de um holofote
E de olhar o inverso posso apenas ver
Os corpos dos animais e dos pássaros
Que se pavonearam comigo ao palco escurecido
E ajudaram-me a lograr todos.


Truques de passarinhos e chapéus de coelhos mortos.


Eles observam meu pó.


Curvo-me pela última vez, com orgulho, o mais
Orgulhoso que
Pode ser um conjurador
Me desfaço em chamas,
Sumo em fumaça.


Não se caminha para trás,
E estou perdido no Labirinto Invisível,
Não posso refazer meus passos.


Escrevi meu nome na parede do
Labirinto Invisível.
Fui tão aplicado en meus estudos:
Entreguei todo meu tempo e meu coração a
Esta busca.


Escrevi meu nome, mas não consigo
Mais encontrá-lo:
Minhas cinzas se espalham como pó pelo
Labirinto Invisível.





Reações:

0 Lamentos Finais De Cadáveres: