sexta-feira, 4 de novembro de 2016

Entrego-Me A Você Nesta Minha Cova


Sygin


Entrego-me a você
fazendo deste instante
nesta impiedosa fria
madrugada onde estou
muito mais morto
do que costumo estar
a pá da minha cova onde
lhe peço para me
enterrar

Entrego-me a você
para que venha me
consolar aqui nesta
minha cova invernal
a congelar cada parte
de meu Abominável
Ser Selvagem
mais pronto para
todo desregramento
do que para qualquer
desligamento
e sempre torcendo
para o meu total
desmembramento

Entrego-me a você
me orientando nas vozes
que aqui nesta cova
onde me sinto completo
ao intuito de te deixar
tocar no meu obscuro
coração feito de qualquer
coisa que tenha a ver
com sombras vastas
encobrindo campinas
que são rasgadas
por fatais garras

Entrego-me a você
para me seduzir sem dó
nas paredes desta cova
me arrastando para dentro
de teu infinito mundo
onde Kaos
é uma Ordem
e o Fogo Negro
é Religião
um mundo que atrai
o meu mundo onde
de túmulo em túmulo
vou me eternizando
me destruindo
e me reconstruindo
dia a dia
noite a noite
meio-dia a meio-dia
meia-noite a meia-noite

Entrego-me a você
me dê como a escuridão
que te envolve
algum tipo de carinho
qualquer tipo de afeto
todo tipo de amor
para este Coveiro
Assombrado
e atolado pela escravidão
de uma solidão
que o filme pornô
a punheta
e a devassidão escrita
não impedem de me
torturar
entortar
aturdir
abortar
estrangular
sufocar
enforcar
decapitar
estuprar
extorquir
destronar
derramar
foder
foder
foder

Entrego-me a você
como o fodido imperador
desta cova que é um império
do Abismo encerrado
em mim
das Trevas densas
em mim
dos Infernos gritantes
em mim
do Kaos
e do Fogo Negro
em mim
o que nos torna iguais
mas diferentes porque
não estou há aeons
fora da Carne
como você estás
Amada que agora me abraça
pelas costas
com um desejo
que humano algum
poderá um dia sentir

Entrego-me a você
nesta minha cova
Amada Caótica Inominável
me penetre
me incendeie
me perturbe
me coma
me regurgite
me faça nascer
do Seu útero
para que eu possa merecer
fazer parte
do teu universo
onde tudo se faz
e desfaz
como draconianos sopros
transformadores do pó
em Ouro que as Trevas
adotaram como seu
Povo

Entrego-me a você
nesta minha cova
venha para dentro
de mim

Entrego-me a você
nesta minha cova
venha me detonar

Entrego-me a você
nesta minha cova
sinta prazer em
me pisotear

Entrego-me a você
nesta minha cova
me faça algo sentir
por favor
por favor
por favor
por favor
por favor
por favor
por favor
por favor
por favor
por favor
por favor
por favor
por favor
por favor
por favor
por favor
por favor
por favor
por favor
por favor
por favor
por favor
por favor
por favor
por favor
por favor
por favor
por favor
por favor
por favor

por favor
eu preciso algo
sentir

por favor
eu preciso muito
sentir

por favor
eu quero
sentir


por favor

Inominável Ser
FAZENDO APENAS
UM HUMILDE
PEDIDO
A UMA AMADA
NOTURNA
INOMINÁVEL





Reações:

0 Lamentos Finais De Cadáveres: