domingo, 4 de dezembro de 2016

Anjos de Pedra - Nayrha Lee


Nayrha Lee


Solitário entre estátuas eu te vejo,
Caminhando entre as ruínas... te desejo...

Procurastes por alguém, ou por uma explicação?
Para tamanho vazio dentro do seu coração...

Observastes as roseiras secas dos canteiros,
Enquanto isso, o relógio, marca meia-noite no ponteiro...

Aqui onde a única coisa viva é você e os espinhos,
Você vai caminhando sozinho, sozinho...

Entre os monumentos de corações paralisados,
Você vai vendo lascas caídas, amores despedaçados...

Em sua bela face de mármore, uma lágrima eternizada, 
Como um risco, em uma pedra rabiscada...

E me olhas ao longe tão singelo, 
Um lindo olhar esculpido, no seu rosto tão belo...

Ao longe, olho e percebo teu silêncio,
Como se faiscasse em você, um triste lamento...

Vivendo preso a essa matéria dura que são tuas decepções,
Percebo que algo dentro de seu coração queima, como lava de vulcões....

Asas que não querem mais um voo alçar,
Coração petrificado, que tem medo de amar...

Oh! lindo anjo, não pare de viver,
Entre as estátuas frias, ainda que esteja quebrada, existe uma que precisa de você...

Não transforma-te em um desses monumentos,
Anjos de pedra, aqui foram esculpidos, pelos seus duros sentimentos.

By: N. Lee / 18-11-2012 / ás 23:03




Reações:

0 Lamentos Finais De Cadáveres: