terça-feira, 3 de janeiro de 2017

.........


Dark Gothic Tale - Valentina Kallias


Janeiro me traz a distante
lembrança ativadora
de minhas mais tensas feridas,
lembrança animadora
de uma Musa Sombria
que na Idade Das Trevas
arrancou meu coração
com um Punhal Faminto…
Me lembro Dela,
que hoje sobrevive,
sob diversas Faces,
sob diversos Nomes,
sob diversas Encarnações,
nos Contos de Horror
e de Terror
da contemporaneidade.
Ela cheira a infinitos
galões de sangue abertos
por todo um universo…
Ela caminha fazendo
o som de ossos
sendo esfacelados
a cada passo…
Ela é silenciosa,
mas aquilo que
nunca diz
é o que mais
amedronta,
é o que mais
apavora…
E é o que mais
seduz…
Ela olha para mim
agora…
Eu olho para Ela
agora…
Meu coração novamente
nas mãos Dela…
Uma
batida…
Duas
batidas…
Três
batidas…
Quatro
batidas…
Cinco
batidas…
Seis
batidas…
Sete
batidas…
Oito
batidas…
Nove
batidas…
Dez
batidas…
Onze
batidas…
Doze
batidas…
Treze
batidas…
E
a
última
b
a
t
i
d
a
.
.
.

Inominável Ser
COM O PEITO
ABERTO
POR UM
PUNHAL FAMINTO




Reações:

0 Lamentos Finais De Cadáveres: