sexta-feira, 17 de fevereiro de 2017

.........


Clawed Fragility - Gestiefeltekatze


Um sonho
em todas as tumbas,
um pesadelo
em todas as turbas,
a sonolência
e o tédio
entre a massa
da tola Humanidade
causa a turba de
densa insanidade
nesta alma minha…
Sou frágil
como galho seco…
Sou seco
como fruta morta…
Sou morte
para mim mesmo…
Eu mesmo
dou a pá
para Outros Coveiros
me enterrarem aqui…
Aqui bem dentro
das minhas tumbas…
Aqui bem dentro
das minhas turbas…
Aqui bem dentro
neste meu coração
estragado,
todo dia sendo
de mim arrancado…
Quem traz
mais terra
para me enterrar?
Quem traz
outro caixão
para me posicionar?
Quem traz
a lápide
para me identificar?
“AQUI JAZ
UM ABOMINÁVEL
POETA
CUJO NOME
SE PERDEU
DENTRO DA
GRANDE NÉVOA
DO LABIRINTO
INVISÍVEL
DO ABISMO!!!”
Vela para mim,
frágil companheira…
Vele por mim,
frágil vigilante…
Uma lágrima,
por favor,
para mim,
frágil espírito
de uma Inominável
Tribo…
Não me deixe
sem uma lágrima
ai fim da minha
ridícula humana
jornada.

Inominável Ser
RIDÍCULO
INOMINÁVEL
POETA




Reações:

0 Lamentos Finais De Cadáveres: