terça-feira, 7 de março de 2017

.........


Le Festin - Trëz


Sacudindo a cabeça
e vendo longe,
eu sinto a derrocada
da humana multidão
apavorada diante
dos escombros
de sua atual
Desgraçada Era.
Escombros pendendo
de quebrados
pescoços,
retalhados
esforços,
reduzidos
espaços,
fracassados
destroços
e arruinantes
poços.
Escombros
ao norte,
ao sul,
ao leste,
ao oeste.
Escombros
entre infindas
paredes,
rachadas
muralhas,
rachadas
portas,
rachadas
janelas.
Escombros
que se amontoam
em espaços
de leitos
fervorosos.
Escombros
que dialogam
com as múmias
de um
presente,
de um
futuro,
de um
passado.
Escombros,
as vozes mais
retumbantes
nesta triste
senda distante
dos desertos
mais cáusticos
de minha alma
em retalhos.
E cada escombro
sou eu.
E cada escombro
é o meu
Eu.

Inominável Ser
UM ESCOMBRO
QUE CAMINHA




Reações:

0 Lamentos Finais De Cadáveres: