sexta-feira, 23 de junho de 2017

Isto Não É Poesia, É Um Atentado Terrorista


Photo by Haris Nukem

E na certa em toda calada
De uma noite onde putas jogam cartas
Com santas depravadas
Eu encontre minha garota encantada
Cheia de piercings na buceta
E tatuagens até na sola dos pés
Uma Suicide Girl para meu 
Particular jogo de terror

Onde está mesmo a graça?
Onde está mesmo a farsa?
Onde está mesmo a farra?
As portas das porras das casas
Das porras dos meus vizinhos
Sempre estão abertas
Essas porras sempre estão
Em puta festa
Essas porras sempre estão
Em caralho de festa
E eu no terror vasto das paredes
Sufocantes do meu quarto

Ouvir Joy Division dá nisso
Toda minha verdade explode
Na poesia mais terrível
E mais temível
E mais sincera
Que eu trago dentro de mim
Poesia escoltando a fúria
Que me acompanha
Poesia afogando o amor
Que tento acompanhar
Poesia escancarando o terror
Que sempre há de me acompanhar

É tudo questão de saber levar
E de saber refletir sobre
A cadela estúpida chamada solidão
Sabe?
A merda fede bastante daqui 
Deste ângulo onde estou
A merda de ter quarenta anos
E nem saber o quanto este
Ato de terror que é viver
Vai me fazer ainda rastejar
Por aqui neste vaso sanitário
Chamado Planeta Terra

"Refazer a vida"
"Ter esperança"
"Ser positivo"
"Ser pacífico"
"Ser tranquilo"
"Ser bonzinho"
"Ser como todos são"
Vá para a casa do caralho
Eu sei bem como se sente
O homem-bomba do Hamas
O atirador do Estado Islâmico
O assassino da Al Qaeda
Quando O Terror 
Fala mais forte

Mas
Não se preocupem
Amiguinhas & Amiguinhos
Os únicos atentados terroristas
Que cometerei até o fim
Do terror que é o meu existir
Na pocilga terrestre
Serão versos como estes
Que se perderão aqui
Nesta Linha do Tempo
De uma rede social
Que não socializa nem mesmo
Baratas comendo açúcar
Na pia da cozinha cheia de gordura
Da casa de algum terrorista
(Bem porquinho, por sinal...)

Inominável Ser
POÉTICO
TERRORISTA
DOS VERSOS
EM SEU EXISTIR
DE TERROR




Reações:

0 Lamentos Finais De Cadáveres: