sábado, 12 de agosto de 2017

Sombras Vingadoras


Michelle Maron - Haris Nukem


Se me compreendem
Através dos meus versos
Como um monstro,
Como um demônio,
Como desumanamente formado,
Como lixo,
Como esterco,
Como bosta,
Como lama,
Eu me vingo pensando
Que todos estão
Nas sombras.

Todos possuem as suas sombras
Possíveis,
Impossíveis,
Vigilantes,
Adormecidas,
Altas,
Baixas,
Positivas,
Negativas.

Quem me julga
Pelas minhas sombras
É julgado pelas suas
Próprias sombras.

Eu não julgo as sombras
Dos que me julgam
Pelas minhas sombras.

Eu compreendo as sombras de todos,
Pois sou poeta
Em minhas sombras.

Sombras nascidas
Quando o meu amigo Diabo
Conversa comigo
Nas noites vermelhas minhas.

Sombras nascidas
Quando o meu amigo Satan
Conversa comigo
Nas noites adversárias minhas.

Sombras nascidas
Quando o meu amigo Lúcifer
Conversa comigo
Nas noites luzidias minhas.

Sombras nascidas em mim,
Sombras minhas,
Sombras vingadoras
A vingarem-me com versos
Das sombras que me são
Inimigas.

Vingo-me da ralé que julga
Sendo uma ralé que poetiza.

Não me considero
O rei dos poemas.

Não sou
O Rei Dos Poetas.

Sou apenas
Inominável.

Sou apenas um
Ser.

Sou apenas uma
Sombra.

Sombra esmagada.

Sombra aflita.

Sombra corajosa.

Corajosa por não negar
As próprias outras
Sombras
Em si eternizadas.

Inominável Ser
SOMBRAS




Reações:

0 Lamentos Finais De Cadáveres: